<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Motivação / Dicas de estudos



Quem diz que os filmes são só uma distração certamente não entende os encantos da sétima arte. Diz aí, você já suspirou assistindo um romance meloso ou teve que disfarçar as lágrimas diante de um drama comovente? Já passou dias sem dormir depois de conferir o que seu amigo chamou de “terrorzinho básico” (e na verdade era um thriller de arrepiar os ossos)? Quando é baseado em fatos reais, então…

E o que falar dos longas que têm alguma relação com a área de comunicação? Mesmo que você não se interesse muito por essa temática, alguma coisa nesses filmes prende a atenção das pessoas até o final. Mas dá pra entender esse fascínio por histórias que demonstram a importância da comunicação na sociedade: o controle de informações está diretamente ligado ao poder.

É por isso que um filme com um roteiro bem elaborado pode ter um impacto tão grande a quem o assiste, a ponto de fazer com que a pessoa reflita sobre o assunto por muito tempo. Já aconteceu com você? Se não, sinto dizer: você assistiu errado, assiste de novo.

Se não sabe por onde começar, preparamos uma lista pra guiar você nesse mundo maravilhoso do cinema. Confira alguns filmes na área de comunicação que vão deixá-lo vidrado na tela!

1. Amor por contrato

Você já ouviu falar em marketing oculto? Em Amor por contrato, uma família aparentemente perfeita (a típica família de comercial de margarina) se muda para uma vizinhança de alto nível. Aos poucos, eles passam a ser admirados e até invejados pelos vizinhos, já que exibem um estilo de vida de deixar qualquer um babando. Carrão, celular, eletrônicos de última geração, tudo que você imaginar!

O que ninguém sabe é que eles não passam de uma estratégia de marketing de uma grande empresa: são funcionários contratados para se passar por uma família e alavancar as vendas de certos produtos entre os consumidores do bairro.

Sabe quando as Kardashian anunciam a novidade da vez e, de repente, todo mundo tem que ter esse novo objeto de desejo? Imagine esse tipo de influência, mas de uma forma que as pessoas nem percebem que estão sendo manipuladas. O que você acha: genial ou antiético?

2. Obrigado por fumar

O protagonista Nicky Nailor é o típico advogado do diabo: contratado pela indústria de tabaco, sua função é esconder os riscos do tabagismo e estimular a venda de cigarros. Você acredita que ele chega a participar de programas de televisão pra defender os benefícios do hábito de fumar?

Mas esse não é um filme sobre o politicamente correto, nem sobre as consequência do cigarro. Acontece que o lobista, que sempre repetiu que estava só fazendo o seu trabalho, começa a questionar se está fazendo a coisa certa quando percebe o exemplo que está dando ao filho.

É interessante ficar de olho nas artimanhas da indústria pra manipular o consumidor: os produtores de filmes eram abordados e convencidos a utilizar o cigarro como um elemento recorrente em suas tramas. Quanta liberdade de escolha você tem em um mundo dominado pela propaganda? Faz a gente pensar, não é mesmo?

3. Mera coincidência

Até que ponto podemos confiar na mídia? Para acordar aquela pulguinha atrás da sua orelha, esse filme conta a história de um presidente prestes a ser reeleito que se vê às voltas com um escândalo sexual que pode acabar com sua carreira na política.

Para distrair a atenção dos eleitores, um de seus assessores tem uma ideia brilhante: contratar um produtor de filmes de Hollywood para criar uma história fantástica que chame a atenção da mídia.

É assim que eles inventam uma guerra fictícia na Albânia, usando imagens forjadas e um marketing forte, com direito a música, hino e até um herói de guerra esquecido que retorna à pátria. A intenção é que o presidente acabe com o conflito e volte a cair nas graças do público. Será que a história vai colar?

Apesar de ter sido lançado em 1997, o filme é mais atual do que nunca. Afinal, vivemos na era das fake news, não é? Vale a pena refletir sobre o poder de manipulação da imprensa e até sobre a necessidade de desenvolver senso crítico (ou você quer acreditar em qualquer coisa que aparece na mídia?)

4. Spotlight: segredos revelados

Que tal um drama biográfico para refletir sobre a responsabilidade da mídia ao expor um furo de reportagem? Esse filme se baseia na investigação feita pela equipe Spotlight, do jornal Boston Globe, em 2001, que revelou um esquema assustador de abuso de crianças por padres. O que começou como uma notinha em uma coluna do jornal acabou se tornando um dos maiores escândalos envolvendo a igreja católica no mundo.

E a história levou anos para tomar forma: em 1996, uma mulher acusou um padre de abusar de seus 3 filhos. Quando o assunto virou notícia de jornal, outras vítimas apareceram e as denúncias foram aumentando, até que os jornalistas perceberam que o problema era muito maior do que imaginavam. O Globe descobriu cerca de 250 vítimas e após publicar os detalhes da investigação em 2002, mais casos começaram a ser registrados.

O filme explora bem os desafios do Jornalismo, desde a fase de pesquisa até o relacionamento com as fontes. Depois de assistir, você vai ter uma visão completamente diferente da profissão de jornalista!

5. A chegada

Será que a ficção pode se relacionar também com a área da comunicação? Nesse filme, uma linguista é chamada para intermediar o contato dos humanos com seres extraterrestres que chegaram à Terra. O problema é que, ao aprender o idioma deles, ela começa a ver o mundo da mesma forma que os alienígenas.

Toda essa história se baseia em uma teoria linguística real, sabia? É chamada de hipótese de Sapir-Whorf, que afirma que a estrutura e o vocabulário de uma língua podem moldar a percepção das pessoas. É mais ou menos como dizer que os esquimós conseguem identificar diversos tipos de neve (que pessoas de outros países nem imaginam que existe) porque eles têm várias palavras para se referir à água congelada. E aí, a linguagem pode mudar nossa percepção da realidade? O que você acha?

6. O Abutre

Se você imaginou que esse filme se trata de um oportunista, não está muito enganado. Lou Bloom é um homem que percebe no Jornalismo sensacionalista uma chance de ganhar dinheiro. O longa nos faz pensar até que ponto os profissionais vão por uma reportagem ou o tão sonhado furo. A ética e o profissionalismo são colocados em debate. E você fica se perguntando: até que ponto a nossa privacidade é respeitada?

Você já percebeu que, embora a gente se comunique o tempo todo, muitas vezes não damos a devida importância a essa habilidade? Aliás, a comunicação é tão relevante que existem diversas profissões voltadas justamente para quem gosta de ler, escrever, falar em público e utilizar todos os meios possíveis para transmitir uma mensagem: Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Marketing, Relações Públicas e até Gerenciamento de Mídias Sociais.

Se você escolheu uma carreira na área de comunicação, já sabe bem sobre as dores e delícias da profissão, não é mesmo? Mas, como aprender nunca é demais, que tal incluir esses filmes na sua próxima sessão de cinema em casa? Vale até fazer uma maratona no final de semana, com direito a pipoca e um caderno do lado para anotar seus insights! Compartilhe nosso post nas suas redes sociais e marque os amigos que vão acompanhar você!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action