<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Dicas de estudos



Você sabia que a universidade não serve apenas para transmitir conhecimento? Ela também é responsável por contribuir com o avanço da ciência. Por isso, ela precisa incentivar seus alunos da graduação a pesquisarem, produzirem artigos científicos e compartilharem suas descobertas.

Você sabe como um artigo científico pode ser importante para a sua carreira? Neste post, vamos falar sobre esse assunto. Também vamos explicar por que um estudante universitário deveria investir seu tempo nesse tipo de projeto e como publicá-los. Confira!

O que são artigos científicos?

Se você pensa que todo texto que pode ser considerado um artigo científico, é melhor rever seus conceitos. Para não deixar nenhuma dúvida, trouxemos a definição da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT — NBR 6022, 2003, p. 2), que diz:

"o artigo científico é uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento".

Ou seja, o artigo científico é uma publicação que mostra, de forma sistematizada, os resultados de uma pesquisa. No meio acadêmico, ele é considerado uma fonte importantíssima que contribui com a disseminação e democratização do conhecimento. É ele que faz o trabalho de um pesquisador ser reconhecido, por exemplo.

Para que servem os artigos científicos?

Imagine como seria se sempre que um pesquisador quisesse adquirir conhecimento ele tivesse que comprar (ou pelo menos buscar) livros! Compartilhar informações seria muito difícil devido aos custos e até mesmo por causa do tempo necessário para formular uma obra, publicá-la, traduzi-la em outros países e assim por diante.

Sendo assim, o papel do artigo científico é facilitar o acesso ao conhecimento. Quando um pesquisador faz uma descoberta e a publica em uma revista especializada, ele dá a outros profissionais a oportunidade de também se beneficiarem desses dados.

Além disso, o artigo promove uma validação do conhecimento. Pode ser que os leitores da revista tenham informações que confirmam a hipótese dele. Em outros casos, acontece o contrário: uma outra pesquisa mostra que aquela descoberta não é válida ou que se aplica a um contexto e não a todos.

Como vimos, o fato de uma pesquisa ser publicada cria essa oportunidade de avaliação e discussão de ideias. É possível que outros estudiosos tentem replicar a experiência. Se eles obtiverem os mesmos resultados, ela é validada. Se isso não acontecer, podem ser descobertas falhas metodológicas e conceituais que levaram a uma conclusão equivocada.

Finalmente, diante de uma descoberta válida, a publicação do artigo dá ao pesquisador o crédito pela descoberta. Mesmo que várias pessoas ao redor do mundo estejam tentando validar uma hipótese, o primeiro a divulgar as conclusões por um meio confiável — como as revistas científicas — deixa seu trabalho e contribuição registrados diante da sociedade.

Quais são os benefícios de produzir artigos científicos?

Produzir artigos científicos também é muito interessante a carreira de quem está na faculdade. Além de permitir que você domine um assunto com mais profundidade, o que pode melhorar seu rendimento acadêmico, existe a possibilidade de seu currículo ser visto de outra forma.

A pesquisa também pode abrir uma série de portas. Ela pode facilitar seu ingresso em programas de iniciação científica e pós-graduação. Outra possibilidade é chamar a atenção de empresas que buscam inovação e veem a oportunidade de expandir seu projeto para desenvolver produtos e serviços diferenciados, potencializando seu sucesso profissional.

Como fazer um bom artigo científico?

Selecionamos alguns tópicos que mostram fatores em que você precisa prestar atenção ao escrever um artigo científico. Veja a seguir!

Delimite sua hipótese

Conforme você estuda ou trabalha, surgem algumas dúvidas sobre determinados assuntos. São pontos em que a Ciência da sua área geralmente não "bateu o martelo" e, portanto, eles não têm uma resposta definitiva. Outra possibilidade é ter uma pergunta sobre a qual ninguém pesquisou.

Pegue esse tema, estude o que outros pesquisadores disseram sobre ele e defina uma hipótese. É com ela que você vai trabalhar para chegar a uma conclusão. Mas lembre-se: a pesquisa precisa descobrir a verdade e não simplesmente confirmar a sua suposição.

Escolha o tipo de pesquisa

Em alguns casos, o pesquisador "apenas" compila as descobertas de outros autores. Isso significa que ele reúne, em um artigo, os fatos que a comunidade científica já sabe sobre um determinado assunto. Esses artigos são chamados de revisões bibliográficas.

Porém, compilação não significa cópia. Esse é um trabalho muito detalhado e preciso. É necessário realmente pesquisar a maioria dos artigos publicados, comparar os dados que eles apresentam, identificar os que foram invalidados e os que se confirmaram. Também é fundamental apontar pontos de concordância e divergência.

Esse é apenas um tipo de artigo. Também existe a pesquisa de campo. Nesse caso, o estudante vai coletar dados por meio de entrevistas, formulários, questionários e outros instrumentos. Então, ele analisará essas informações para identificar padrões e confirmar ou refutar hipóteses que ele formulou ou que constam em artigos bibliográficos, por exemplo.

Conheça a revista em que pretende publicar

Informe-se sobre as revistas científicas de sua área. No Brasil, elas geralmente são promovidas por centros de pesquisa de universidades. Peça a ajuda de um orientador para definir qual é o melhor lugar para enviar o seu material levando em consideração a credibilidade do periódico e se eles oferecem oportunidade a novos pesquisadores.

Confira alguns dos exemplares da revista. Veja se sua pesquisa realmente está relacionada aos temas que ela costuma tratar, qual é o estilo das publicações, o formato e estrutura que eles costumam utilizar. Se o seu artigo estiver próximo dessa linha, é possível que ele seja aprovado com maior facilidade.

Cuide da estrutura do artigo

Estruture seu texto de acordo com essas características que você viu na revista e também com o tipo de pesquisa realizado. É normal ter um resumo inicial, que geralmente deve ser traduzido para o inglês (o Abstract) — algumas revistas também exigem a versão em espanhol.

Além disso, a introdução precisa trazer uma justificativa que mostre por que essa pesquisa é importante. Ela pode apontar os problemas mais frequentes causados pela falta desse conhecimento, possíveis confusões com conceitos e assim por diante.

A estrutura do restante do artigo depende bastante do tipo de pesquisa. Na revisão bibliográfica, é importante que haja uma sequência lógica, bem como comparações, análise de dados e assim por diante.

Já na pesquisa de campo, é fundamental descrever a metodologia utilizada, os resultados, uma discussão e a conclusão. Também é fundamental utilizar a linguagem objetiva, que é própria para o debate científico. As revistas costumam divulgar em seus sites se o autor deve adequar seu texto às normas da ABNT ou se tem suas próprias regras.

Não desanime diante das objeções

Antes de publicarem os textos, as revistas submetem esse material à avaliação de acadêmicos. Eles checam as fontes de pesquisa, os resultados obtidos, a argumentação e muitos outros aspectos para ver se a conclusão é confiável e pode ser divulgada sem comprometer a reputação do periódico.

Em alguns casos, eles rejeitam o artigo. Nem sempre isso significa que o trabalho não é bom. Simplesmente a comissão pode entender que deve dar prioridade a outros assuntos naquele momento. Nesse caso, procure outra revista e ofereça seu artigo.

Dificilmente eles publicam um material no primeiro envio. É perfeitamente normal eles devolverem, alegando que estão dispostos a divulgar a pesquisa, desde que o autor faça algumas alterações. Não desanime! Isso faz parte de todo esse processo. Faça as adequações no prazo estabelecido e reenvie.

Entendeu qual é o papel dos artigos científicos, sua importância no meio acadêmico e como produzi-los? Se você gostou deste post, aproveite para curtir nossa página no Facebook e não perca outros conteúdos como esse!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action