<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Dicas de carreira



Pensando em cursar Enfermagem? Essa é uma ótima opção de carreira. Além de fazer diferença na vida das pessoas, o mercado é amplo e a empregabilidade é alta. Então, que tal conhecer um pouco mais sobre essa profissão e descobrir quais são as competências de um enfermeiro?

Você fez bem de vir à nossa página, porque neste post vamos apresentar várias características que definem o profissional de Enfermagem. Assim, você pode avaliar se está no caminho certo e se realmente se identifica com essa profissão.

Mas para começar, vamos esclarecer outra dúvida frequente sobre as diferenças entre o trabalho dos auxiliares, dos técnicos e dos enfermeiros. Ficou curioso? Continue a leitura!

Enfermeiro, técnico e auxiliar: quem faz o quê?

É possível que essa dúvida já tenha passado pela sua cabeça. Além das formações acadêmicas, cada um desses profissionais atua de maneira distinta nos processos de assistência ao paciente. Vamos entender melhor!

Enfermeiro

Aqui, temos um profissional graduado, que frequentou um curso superior de 4 a 5 anos e é capacitado para assumir as funções de maior complexidade na Enfermagem. Ele planeja todo o trabalho a ser executado e supervisiona as ações dos técnicos e dos auxiliares, além de também acompanhar o paciente em todos os níveis.

Técnico de Enfermagem

Como o nome já indica, esse profissional tem o grau técnico, obtido a partir de um curso que dura de 1 ano e meio a 2 anos. Suas ações são planejadas pelo enfermeiro e incluem diversos procedimentos e cuidados com pacientes em estado grave ou em quadros de média complexidade. Ele pode atuar em centros cirúrgicos, no pós-operatório e na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Auxiliar de Enfermagem

O conhecimento técnico do auxiliar é adquirido em cursos profissionalizantes que duram em torno de 15 meses. A partir dessa formação, ele é habilitado para trabalhar em ambulatórios e acompanhar casos de menor gravidade, além de realizar alguns procedimentos que também cabem ao técnico, como:

  • administrar medicamentos;
  • fazer aplicação de injeções;
  • realizar curativos;
  • ajudar em atividades de higiene etc.

Competências do enfermeiro: o que não pode faltar no perfil desse profissional?

Você já compreendeu as diferenças entre as funções do auxiliar, do técnico e do graduado em Enfermagem, certo? Agora, conheça algumas das competências que o enfermeiro desenvolve durante a faculdade e aprimora ao longo de toda sua carreira — lembrando que essas características são indispensáveis para o bom desempenho do profissional.

Atenção à saúde e ao cuidado com o próximo

A principal missão do enfermeiro é atuar na promoção da saúde e cuidar do próximo. É sua responsabilidade participar de ações que visem o bem-estar das pessoas, por meio da prevenção e do tratamento de doenças.

Então, ter paciência e cuidado no trato com os pacientes, saber lidar com diferentes pessoas e gostar desse contato é essencial para a qualidade do trabalho na Enfermagem.

Responsabilidade e organização

Essa competência é importante para profissionais de qualquer área. No entanto, ser organizado, gerir o tempo de forma eficaz e manter os procedimentos em ordem é ainda mais necessário na rotina do enfermeiro, justamente porque dele dependem outras pessoas.

Ética

O estudante de Enfermagem aprende desde cedo sobre a importância da ética na profissão. Como exemplo, dentre as determinações prescritas pela Ordem dos Enfermeiros, estão o respeito à privacidade do paciente e a garantia do sigilo das informações.

Trabalho em equipe

A colaboração com outros profissionais e as relações construtivas em equipes multidisciplinares são pontos que fazem a diferença no cuidado geral com o paciente. Portanto, o bom relacionamento interpessoal e a facilidade de lidar com diferentes posicionamentos dos colegas de trabalho são questões trabalhadas desde os anos de faculdade.

Liderança

No trabalho em equipe, o enfermeiro deve estar pronto para assumir a liderança, delegar tarefas e supervisionar os procedimentos de atendimento ao paciente. Essa é uma competência inata para algumas pessoas — já outros precisam desenvolvê-la com um pouco de treino comportamental.

Responsabilidade, compromisso com os resultados, facilidade para tomar decisões, comunicação eficiente e empatia são algumas das características de um bom líder.

Comunicação

Acabamos de mencionar a comunicação como um traço da liderança. Mas mesmo que o enfermeiro não esteja na função de líder, saber se comunicar — tanto com os colegas quanto com os pacientes — é um mandamento básico no dia a dia da sua profissão.

Na atenção ao paciente e aos seus familiares, é preciso apresentar as informações e esclarecer as dúvidas sobre seu estado de saúde de forma clara, compreensível e apropriada.

Estabilidade e controle

Como lida constantemente com situações delicadas — acidentes, doenças graves, limitações físicas, sofrimento dos enfermos e das famílias, morte etc. — o profissional dessa área precisa de uma boa dose de estabilidade emocional. Apesar de demonstrar empatia e compreender o momento do outro, ele deve tomar cuidado para não se deixar abater e prejudicar seu trabalho.

Eficiência nas tomadas de decisão

O controle das emoções também é necessário diante das situações de catástrofe e de emergência, que colocam o enfermeiro sob pressão no trabalho e exigem rápidas tomadas de decisão. Nessas ocasiões, o profissional recorre ao raciocínio crítico e às estratégias de resolução de problemas.

Empatia e respeito

Lidar com pessoas, em qualquer contexto, exige respeito. Quem trabalha na área da saúde especialmente deve ter isso sempre em mente, porque em sua frente está alguém já fragilizado por sua condição.

Então, um ponto que não pode faltar no perfil do enfermeiro é a capacidade de se colocar no lugar do outro, assim como a consideração às escolhas do paciente. Além da empatia e do respeito, a tolerância às diferenças — valores, costumes, crenças espirituais etc. — também é uma palavra de ordem.

Conhecimento técnico e aprendizado contínuo

Por fim, uma das questões mais trabalhadas durante a faculdade é o conhecimento técnico, claro. No decorrer de seus anos de estudo, o enfermeiro recebe toda a preparação necessária para desempenhar sua profissão e zelar pela saúde das pessoas e da comunidade.

Além do repertório técnico adquirido na graduação, o profissional de Enfermagem nunca pode parar de atualizar o seu conhecimento, de aprimorar suas práticas e aperfeiçoar as competências. Ficar de olho nas novidades da profissão e reforçar a formação com cursos de especialização ajudam a desenvolver um trabalho de qualidade.

Instituição de ensino: o nome da faculdade faz diferença na formação e no currículo?

Sim, o nome da instituição faz toda a diferença na qualificação, assim como no peso do currículo. Isso porque uma faculdade que é reconhecida por sua qualidade de ensino é garantia de profissionais bem preparados para atuarem no mercado.

Os empregadores não querem somente um certificado: eles buscam por pessoas capazes de aplicar seu conhecimento na prática e realizar um trabalho de excelência. E isso é raro! Segundo os próprios recrutadores, há muitos profissionais formados no mercado, mas poucos são realmente qualificados e aptos para entregar bons resultados no dia a dia da profissão.

Então, não se esqueça: antes de iniciar a sua graduação, pesquise muito bem sobre a qualidade da instituição que você pretende frequentar. E agora que você já sabe quais são as competências de um enfermeiro, comece a fazer suas pesquisas para escolher a faculdade certa, aquela que vai preparar você para uma carreira de sucesso.

Se você quer acompanhar as atualizações da Uni e saber mais sobre dicas de estudos, cursos e profissões, siga nossas páginas nas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn e YouTube.

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action