<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Dicas de carreira



Desde que Manu começou a ler sobre profissões e características que o mercado de trabalho pede, ela sentiu um leve desespero. Liderar? Comunicar-se bem? Persuadir os colegas? Como é possível ter essas competências profissionais se ela ainda nem passou no vestibular?

Foi no colégio, durante uma palestra sobre empregos, que ela ouviu: mais do que conhecimentos específicos da profissão, é preciso ter essas tais soft skills, que contam tanto como a experiência.

Preocupada e sem saber se ela realmente tinha ou poderia ter essas competências profissionais tão imprescindíveis, Manu resolveu conversar com a orientadora pedagógica da sua escola, a Vilma. Como assim ela poderia ficar tão pronta para o mercado de trabalho se nem entendia direito o que eram essas soft skills? Socorro!

Por sorte, na sala da orientadora, ela conseguiu se acalmar. A Vilma comentou que ela não precisava chegar com essas características prontas e que isso é desenvolvido dia a dia. Nem mesmo os profissionais mais experientes são tão completos em soft skills. Ufa! A conversa com a orientadora valeu muito a pena e abriu os olhos da Manu para algumas coisas.

Competências profissionais: por que elas são tão importantes

Vilma comentou com Manu que, sim, o mercado de trabalho é supercompetitivo e que para uma arquiteta, por exemplo uma das opções de Manu , não bastava ir bem nas aulas da faculdade e ter conhecimento específico: era vital saber se comunicar com os diferentes tipos de pessoas, liderar a equipe com empatia e muito mais.

Mas uma das frases de Vilma trouxe mais paz ao coração agitado da vestibulanda: “ninguém nasce com essas características todas, você pode e consegue desenvolvê-las durante toda a sua trajetória”. Na faculdade, por exemplo, ela poderia começar a ver como persuadir os colegas e liderar a turma, além de ser proativa em suas tarefas e aprender mais.

Já no primeiro estágio, é possível desenvolver as habilidades de comunicação — pensar bem antes de falar e escrever para garantir que a mensagem será entendida. Além disso, o foco é bastante desenvolvido: você vai querer fazer tudo aquilo que pedem e ter um tempinho para fazer algo mais — olha a proatividade dando as caras de novo!

Manu ficou ainda mais tranquila quando Vilma comentou com a orientanda que é normal errar e cometer alguns tropeções nessa caminhada rumo ao desenvolvimento das competências profissionais, mas que tudo bem! Os erros ensinam e é assim que os profissionais amadurecem.

Para melhorar toda a conversa, Manu e Vilma desenvolveram um plano para que, aos poucos, a adolescente pudesse ir aperfeiçoando essas soft skills no dia a dia da escola e, depois, na faculdade. Sempre com um olhar crítico. Bora aprender com a Manu?

Saber se comunicar bem: falando e escrevendo

Sabe aquela mensagem no WhatsApp que deixa todo mundo no grupo com cara de ponto de interrogação? Ela poderia ser melhor escrita. Por isso, sempre antes de enviar, seja por WhatsApp, e-mail ou o que for, vale a pena reler para entender se o objetivo ficou bem claro.

A comunicação falada é um pouco mais difícil. Por isso, antes de apresentar um trabalho, por exemplo, a dica é fazer um roteiro de pontos essenciais que você quer falar para não se perder. Manu colocou isso em prática na apresentação de um trabalho. Antes, ela ensaiou em casa de frente para o espelho e fez até algumas piadinhas para divertir o pessoal. Na hora de apresentar, ela ficou em silêncio um pouco, respirou fundo e mandou superbem. Claro que ela adoraria mudar algumas coisinhas, mas isso pode ficar para a próxima!

Conseguir tomar decisões: rápidas e acertadas

Vilma comentou com Manu que a gente toma um montão de decisões todo santo dia e, muitas delas, sem nem perceber! Por exemplo, ao escolher o que vai comer de manhã, que livro vai ler e o que vai fazer ao chegar em casa.

No trabalho e na faculdade, será a mesma coisa. Assim, será preciso priorizar as tarefas urgentes e acreditar no trabalho em equipe, já que as tarefas envolvem outras pessoas. A tomada de decisão fica mais fácil quando a gente analisa os prós e contras de todos os lados.

Foi assim que Manu optou por escolhas mais saudáveis no café da manhã e por acordar mais cedo para fazer tudo com tempo. E esse foi apenas o começo!

Persuadir os colegas de trabalho e faculdade: como ter argumentos fortes

A turma se reuniu para desenvolver um projeto: todos querem fazer mais do mesmo, mas você quer algo diferente. Como convencê-los? Perguntou Vilma a Manu. O jeito nunca é fazer birra e achar que sua forma de pensar é melhor que a dos outros.

Nesse ponto, Vilma falou sobre o poder de argumentos sólidos, por exemplo, ao falar de todas as vantagens da sua escolha mostrando empolgação e como todo mundo se beneficiará com isso!

Ter foco no dia a dia: dá, sim, para parar de postergar

Na faculdade, se você enrolar para fazer um trabalho, passará a noite acordada e a produção não ficará das melhores. No emprego, fazer algo não tão bom pode custar o cargo! Assim, Vilma e Manu conversaram sobre como é fundamental fazer logo as tarefas e aproveitar o tempo livre para aperfeiçoar o que foi feito e descansar também.

Aperfeiçoar a autoconfiança: tem como?

Alguns nascem mais confiantes que outros, mas essa é mais uma das competências profissionais que também podem ser desenvolvidas. Vilma explicou que é fundamental olhar com carinho para si mesma e entender as qualidades e ressaltá-las, sem vergonha do que as pessoas vão achar. Que tal fazer como a Manu e listar seus pontos positivos no rascunho do celular agora mesmo?

Ter um bom relacionamento interpessoal: com todos!

A gente não é obrigado a gostar de todo mundo, mas ter um relacionamento cordial é mais do que básico para atingir cargos de liderança e manter um clima gostoso na faculdade e no ambiente de trabalho.

A dica da orientadora pedagógica aqui é olhar as pessoas com empatia. Todo mundo tem suas lutas internas e dias ruins, cabe a nós compreender e tratar todos com respeito.

Agir proativamente: isso conquista os chefes

Quando Manu estiver em seu primeiro estágio, Vilma a orientou a fazer as tarefas com foco e a se oferecer para ajudar seus superiores. Isso é ser proativo e mostra às lideranças que você é alguém em quem se pode confiar!

Viu só como o desenvolvimento de competências profissionais inicia antes mesmo de trabalhar e é algo possível de se fazer com atitudes passo a passo? Comece você também a pensar em suas rotinas e maneiras de agir focando seu futuro!

A história da Manu é ficção, tá? Mas a real é que esse é um jeito incrível de desenvolver melhor suas soft skills! Aproveite para compartilhar este texto nas suas redes sociais!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    CTA do eBook Manual para mandar muito bem no ENEM

    Call to action | eBook |  Saiba que curso na área de Humanas deve ser a sua escolha de graduação

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action