<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Motivação



Vida de universitário não é fácil! São aulas, trabalhos, provas — tudo exigindo muita dedicação e esforço. Por isso, nem sempre dá pra conciliar estudos e trabalho, não é mesmo? E quem consegue equilibrar a faculdade com um estágio ou emprego de meio período acaba tendo que se esforçar ainda mais pra dar conta de tudo. A grana muitas vezes é curta e isso exige uma dose extra de controle financeiro pessoal.

Por isso, a maioria dos estudantes se vira como dá: contando moedinhas para o xerox, pedindo carona para os amigos, recusando muitos rolês por falta de grana e até pulando uma ou outra refeição no final do mês (aquele salgado é de quê?).

Mas e se a gente dissesse que é possível ser universitário e não viver na sofrência? Acredite se quiser, mas o fato é existem algumas estratégias pra fazer seu rico dinheirinho render mais e durar o mês inteiro (e já garantimos que todas as #DicasDaUni estão dentro da lei, combinado?).

Quer descobrir o segredo pra andar com a carteira cheia e terminar a faculdade sem dever até as calças? Fique ligado e conheça as dicas de controle financeiro pessoal que preparamos!

1. Anote tudo (tudinho mesmo)

Não vale torcer o nariz e achar que é muito chato anotar tudo que você ganha ou gasta. Essa etapa faz toda a diferença no seu controle financeiro pessoal. E acredite: você vai acabar se surpreendendo com despesas que parecem pequenas no dia a dia, mas quando somadas, representam um valor alto (sim, estamos falando da coxinha na cantina).

Você pode experimentar o método old school, com papel e caneta, ou usar uma solução mais moderna, como planilhas e aplicativos no celular — o que funcionar melhor para você!

2. Analise sua situação financeira atual

É hora de enfrentar a realidade! Não adianta receber a fatura do cartão e esconder na gaveta ou embaixo da cama: suas contas não desaparecem só porque você não quer lidar com elas. Mas essa parte não precisa ser dolorosa! Avaliar sua situação financeira traz a oportunidade de rever gastos desnecessários e descobrir, exatamente, para onde vai o seu dinheiro.

Assim, você consegue procurar soluções para diminuir seus gastos quando precisar: seja contratando um plano de celular mais modesto, pedindo desconto na hora de comprar alguma coisa ou correndo atrás de uma bolsa ou financiamento para a faculdade.

3. Viva conforme a realidade da sua situação financeira

Analise a sua condição financeira e defina quais são as suas prioridades. Para ajudá-lo, faça as seguintes perguntas.

  • O que você não pode deixar de pagar todos os meses?
  • O que é necessidade (se você não comprar ou pagar será prejudicado de alguma forma)?
  • O que é desejo de ter ou fazer?

A partir dessas respostas, você consegue estabelecer quais são suas prioridades e deixar sua vida financeira mais organizada para encarar a vida universitária com responsabilidade. Com o passar do tempo, perceberá que vai sobrar dinheiro para atender aquelas vontades que surgem durante o mês, como tomar um sorvete com os amigos, ir a um show da sua banda preferida ou comprar um lookinho.

O maior erro das pessoas é fazer compras por impulso por não saber separar o que é necessidade e desejo. Com isso, elas acabam contraindo dívidas que precisam ser parceladas (e isso vira uma verdadeira bola de neve!). Viver conforme a realidade que se tem é o segredo para ter segurança financeira.

4. Defina objetivos e metas para o seu controle financeiro pessoal

O que você quer fazer até o final do ano? E quando terminar a faculdade? E antes dos 30? Se você não tiver metas (de curto, médio e longo prazo), dificilmente vai conseguir guardar algum dinheiro. Isso acontece com todo mundo: se você não tem um objetivo, acaba gastando com coisas que trazem satisfação imediata (uma roupa nova, um refrigerante, o Uber para voltar para casa em vez do transporte público e por aí vai).

Então, que tal criar metas para usar bem o dinheiro? Coloque tudo no papel, com prazo e valor — afinal, nosso cérebro só entende quando está tudo bem explicadinho (como nas aulas de física, você deve saber do que estamos falando).

5. Divida e organize os seus gastos

Quais são as suas despesas mensais? Separe aquelas que não podem deixar de ser pagas (como a faculdade, o ônibus, as compras no supermercado e as contas de luz) e aquelas que podem ser deixadas para outro momento (uma camisa nova, um computador mais moderno para realizar os trabalhos da faculdade).

Assim, você saberá quanto precisa separar de dinheiro para realizar os seus desejos. Além disso, essa é uma forma de ter consciência sobre os gastos básicos que você tem no mês e que não pode deixar faltar esse importante capital.

6. Compare preços (sempre!)

Nunca compre um item no primeiro lugar que você viu. Não importa se você quer um refrigerante para a festa com a galera ou uma peça de roupa. Há diferentes marcas e preços disponíveis conforme o lugar que você faz a cotação.

Por isso, use a internet de forma inteligente para comparar preços, qualidade e acompanhar as ofertas da semana. Muitas redes de supermercado já utilizam as redes sociais para divulgar as promoções, assim como lojas de roupas, calçados e livrarias. Com o passar do tempo você vai perceber que essa pesquisa fará muita diferença no seu orçamento.

7. Fuja das compras parceladas

A armadilha dos parcelamentos já pegou muita gente por aí: você parcela uma coisinha no cartão e, quando a fatura chega, é aquele desespero. Dividir o valor de uma compra grande em pequenas mensalidades pode ser um ótimo negócio, desde que você tenha um controle financeiro pessoal bem elaborado.

Mas antes de comprar, você precisa avaliar a taxa de juros, o valor total, quanto do seu orçamento já está comprometido e seus gastos futuros. Na dúvida, não parcele! Se não tem o dinheiro para pagar à vista, a melhor saída é esperar um pouco mais para realizar a aquisição.

8. Esteja preparado para despesas futuras

Calma, você não precisa de bola de cristal na hora de organizar seu planejamento financeiro! Essa é uma dica que faz toda a diferença: coloque no seu orçamento aquelas despesas que se repetem todos os anos e causam a maior ansiedade.

Não sabe do que estamos falando? Vamos lá: aqui entram aqueles gastos anuais, como IPVA, seguro do carro e IPTU, e também o dinheiro que você gasta com presentes de aniversário, taxas da faculdade e material para estudar.

Procure separar pelo menos 10% do que ganha para criar a sua poupança e se prevenir caso surja alguma situação urgente. Afinal, nunca se sabe quando você pode ficar doente e precisar de um remédio diferente ou até se vai surgir uma vaga de emprego em uma cidade um pouco distante, certo?

Talvez até apareça aquele curso de especialização com o qual você sempre sonhou ou um workshop espetacular para você investir no seu desenvolvimento pessoal — situações para as quais é importante ter um dinheiro reservado.

Se você se organizar e poupar um pouco por mês, não será pego desprevenido e estará mais preparado para o futuro! #PartiuJuntarDinheiro

9. Tenha um sistema de controle financeiro pessoal

Cada planejamento financeiro é diferente (porque os gastos das pessoas nunca são exatamente iguais). O que funciona pra você pode não funcionar para os seus amigos, por exemplo. Por isso, experimente alguns métodos de organização e adote o que fizer mais sentido na sua vida.

Existem pessoas que controlam todas as despesas no aplicativo, enquanto os amigos preferem anotar tudo no papel. Outras já registram as informações em uma planilha no Excel, inserindo as entradas e saídas de recursos financeiros.

Algumas pessoas ainda usam a técnica dos envelopes: separam todo seu dinheiro em vários deles, um para cada despesa, e gastam apenas o que tiver disponível.

Outras colocam tudo em débito automático e conferem as despesas pelo extrato do banco. Seja como for, o importante é criar um sistema de controle financeiro pessoal que funcione pra você!

Olhando assim, nem parece tão difícil, não é mesmo? Mas a gente sabe que, na prática, a coisa se complica. Por isso, também é necessário ter um controle financeiro pessoal e se monitorar constantemente.

10. Separe algum dinheiro para o lazer

Nem sempre dá pra resistir a uma promoção naquela loja que você adora ou recusar uma saidinha com os amigos depois de uma semana difícil.

Vamos combinar: dinheiro foi feito para ser gasto, certo? Ninguém quer viver se privando de produtos ou experiências interessantes. Isso acaba afastando muitas pessoas da educação financeira, por acreditarem que controlar as finanças significa não gastar nada. E não é nada disso!

Aliás, muitos especialistas financeiros batem nessa tecla: você precisa reservar uma parte do seu capital para o lazer — e o que vai fazer com esse dinheiro é você quem define! Pode gastar tudo nesses sites de livros e artigos eletrônicos, ir ao cinema toda semana ou organizar uma maratona de séries com os amigos, regada a comidas gostosas e bebidas.

A grande sacada que você precisa ter é que, se fizer um controle financeiro pessoal eficiente, essas despesas não vão desequilibrar o seu orçamento. Aí não falta dinheiro pra comprar os livros da faculdade, pagar as contas em dia e até se dar um presentinho de vez em quando.

Gostou das nossas dicas para aproveitar ao máximo sua vida universitária, mesmo com pouca grana? Aproveite para compartilhar este conteúdo nas redes sociais e mostre aos seus amigos que é possível se divertir sem comprometer o orçamento!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    CTA do eBook Manual para mandar muito bem no ENEM

    Call to action | eBook |  Saiba que curso na área de Humanas deve ser a sua escolha de graduação

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action