<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Blog da UniCesumar
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Motivação



Optar por viver em uma república durante sua vida universitária é uma ótima opção em diversos sentidos, principalmente em relação aos custos, que são bem mais baratos. Porém, a convivência com outras pessoas tem segredos para seguir tranquila. Nesse sentido, algumas dicas para morar em república são essenciais.

Quando você vai para uma casa onde mal conhece as pessoas, é preciso chegar com jeitinho e muita educação para não invadir o espaço alheio. Como você vai estar longe da casa dos seus pais, alguns desafios entram no meio. Mas é tudo possível e a experiência acaba sendo incrível. Topa se aventurar?

7 dicas para morar em república (com muita paz)

Pense só: uma casa com várias pessoas, cada uma delas vinda de uma família com hábitos diferentes. Ao mesmo tempo em que é uma situação delicada e pede respeito, também é uma chance de se conhecer melhor e expandir os seus horizontes. Para essa vivência dar certo, vamos às dicas.

1. A escolha da casa é essencial

Primeiramente, #FocoNaLocalização. É ideal morar o mais perto possível da faculdade para evitar perdas de tempo com deslocamento e o risco de se atrasar frequentemente. Agora, se não tiver jeito mesmo e a república tiver que ser longe, procure um local próximo a supermercados, pontos de ônibus ou metrô, farmácias e restaurantes.

Além disso, é legal bater um papo com os moradores da casa antes. Tudo bem que, à primeira vista, é complicado saber se vocês vão ou não se dar bem. Contudo, já é possível nesse momento sentir algumas afinidades que podem ajudar muito na adaptação e na convivência.

Alguns questionamentos são interessantes antes de você decidir. Atenção a alguns pontos que podem ajudar na decisão.

  • A república tem um clima de lar?
  • Posso trazer uma visita para dormir aqui eventualmente?
  • Existe faxineira ou todo mundo se reveza na limpeza (e segue o combinado)?
  • Vou ter que dividir quarto ou não?
  • Preciso trazer algum móvel?

2. O seu barulho pode atrapalhar

Na casa dos seus pais, você ouvia música no volume que desejava, deixava a televisão ligada o tempo todo, falava no alto-falante do celular e tudo bem. Ninguém reclamava — no máximo, sua mãe dava uma bronca e pedia para maneirar um pouco. Na república, a situação muda de figura.

São pessoas diferentes com gostos distintos. Sua banda preferida pode ser odiada por outros. Além disso, é preciso saber respeitar os limites, não interferindo na liberdade de seus colegas. O que acha?

Além disso, em épocas de prova, quando todos estão estudando com força, foco e fé, é preciso mais atenção ainda. Às vezes, algumas pessoas nem são de conversar muito — repare nisso também e veja se não está atormentando a paz da casa. 

3. Algumas regras fazem bem

Levar um agregado que toma banho em casa e come por lá também vai fazer com que as despesas subam. Por isso, algumas regras são essenciais para evitar cara feia entre os moradores. Veja só o que pode ser questionado:

  • namorado pode dormir durante a semana, só no fim de semana ou em nenhum dia;
  • quem tem o quarto maior paga um aluguel proporcional;
  • a comida na geladeira é de todo mundo ou cada morador compra o seu e coloca o nome na etiqueta;
  • como serão divididas as despesas conjuntas de supermercado (desinfetante, detergente, papel higiênico etc.);
  • ao compartilhar o quarto, há um horário para apagar as luzes ou ninguém se importa com isso;
  • a quantas prateleiras e gavetas do guarda-roupa cada um tem direito;
  • estabelece-se um tempo limite para banho ou azar de quem ficar por último.

Pense que, quanto melhor esclarecidos esses pontos estiverem, menos tretas e dores de cabeça vocês terão no futuro. Além disso, um mural de recados pode ajudar na comunicação, já que cada morador tem seu horário, confere?

4. Muito prazer, organização

Uma coisa é chegar em casa, tirar o tênis e largar na sala quando se vive em família — até porque, nessa situação, as pessoas têm mais liberdade para falar, sem magoar. Na república, a sala, a cozinha, a lavandeira etc. são todos espaços coletivos. Cada um precisa respeitar o que é geral e fazer sua parte para deixar tudo em ordem.

Se você dividir quarto, isso ainda é mais gritante. Deixar coisas jogadas, roupas sujas e luz acesa são atitudes que incomodam e tiram a liberdade do outro em seu próprio quarto. Essa situação é bastante desagradável e você ainda corre o risco de ouvir seus pais dizendo “mas essa não foi a educação que eu dei a você”. Um clássico dos pais!

5. As contas vencem

Internet, aluguel, condomínio (se for apartamento), água, luz, IPTU… Uma coisa é certa: não tarda, os boletos vêm para esfregar a vida adulta na sua cara. Por isso, dois questionamentos são importantes.

  • Qual é a data limite para dar sua parte de dinheiro nas contas?
  • Quem vai ficar responsável por recolher o dinheiro e fazer os pagamentos?

Uma forma de não perder as datas e precisar pagar multa ou ficar sem energia do nada é fazer planilhas online, às quais todos têm acesso e podem controlar. Imprimir um calendário como lembrete pode ser muito útil, viu? Uma dica extra para quem está recebendo dinheiro dos pais para quitar essas dívidas: primeiro as contas, depois a grana para os passeios e diversão.

6. Tudo tem limite

Aquele velho clichê de que seu limite começa aonde o do outro termina é real demais. Se todos respeitarem o espaço alheio, dá pra viver feliz e em harmonia, sem um querer falar mal do outro por trás. Isso é muito chato e detona o clima da casa.

Você e seus roommates não precisam ser melhores amigos, mas uma convivência amigável torna tudo bem mais simples e menos estressante. Imagina que péssimo chegar em casa pensando na hora de sair? Não dá!

Então, se você sabe que pisou na bola em algum momento, reconheça, peça desculpa e aprenda sua lição. Assim, você tem toda a moral do mundo para avisar quando alguém der mancada. O diálogo é necessário — por isso, combinem de falar abertamente.

7. Responsabilidade dividida é lindo

Chegou o dia de pagar a conta e seu colega de república, responsável pela tarefa, está enrolado em um trabalho de fim de semestre? Quebre o galho dele! Solidariedade é muito importante nesse momento.

Todos vocês têm responsabilidades com o mesmo peso e ajudar torna o processo menos pesado. A vida sob o mesmo teto fica mais tranquila quando há parceria. Ninguém fica sobrecarregado e não tem porquê brigar, certo?

Em busca da república ideal

Repúblicas mais antigas sempre fazem seleção de novos moradores — atenção total às redes sociais! Além disso, sua instituição de ensino pode ajudar nessa tarefa, indicando opções. Pense antes se você quer uma casa mista, com homens e mulheres, ou não.

Você também pode começar uma do zero com seus novos colegas de classe. Lembrando que, nesse cenário, vai ter a burocracia com o aluguel (seus pais terão que ajudar) e a necessidade de mobiliar o imóvel, que pode sair mais caro.

Com essas dicas para morar em república, sua experiência vai ser bem mais fácil e sua vida universitária será inesquecível. Pense só nas histórias que terão para contar depois. Algumas repúblicas fazem encontros de antigos moradores e acaba sendo uma amizade que dura um tempão e rende muita recordação incrível.

Agora que você já sabe como se dar bem e fazer muitos amigos em uma república, #partiu assinar nossa newsletter para receber conteúdos como esse?

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS
    Inscrições Vestibular UniCesumar
    Inscrições Vestibular Medicina UniCesumar

    Vestibular Agendado UniCesumar - Inscrições Abertas

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action