<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Engenharias



Uma pesquisa do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA) e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), realizada no final de 2018, revelou dados interessantes sobre o mercado das Engenharias: nos últimos dez anos, o Paraná viu crescer seu número de engenheiros em 35%. E a tendência para 2019 é que o número continue a crescer.

Esse aumento é atribuído ao desenvolvimento sustentável e suas grandes transformações. Ficou espantado e pensando como uma ciência cheia de cálculos e voltada a construção se relaciona com o meio ambiente?

A resposta é muito simples: o mercado da Engenharia vai muito além da Civil. E é exatamente o que vamos explorar no artigo de hoje. Dê uma olhadinha na lista de engenharias em alta que preparamos para você e faça um investimento certeiro!

1. Engenharia Ambiental e Sanitária

Cá entre nós, não é difícil de concluir o porquê da Engenharia Ambiental e Sanitária ser uma das engenharias em alta, certo? A principal função do bacharel é preservar os recursos naturais, reduzindo o impacto da ação humana sobre o meio ambiente e, de quebra, proteger a saúde dos homens. Tudo a ver com o que o futuro nos reserva, profissionalmente falando!

Isso é possível graças às disciplinas que ensinam a projetar, construir e gerenciar operações de sistemas responsáveis pela coleta e distribuição de água e esgoto. Além disso, o estudante também aprende sobre o descarte e reciclagem de resíduos sólidos.

Assuntos como a poluição do ar, do solo e da água também são amplamente discutidos durante essa graduação. Mais do que isso, o estudante aprende a diagnosticar, avaliar e prevenir. Por isso, pode trabalhar na indústria, em órgãos públicos, prefeituras, secretarias municipais e em empresas de construção civil. Não é demais?

 

2. Engenharia Química

O engenheiro químico é um profissional valorizado no mercado. Os salários costumam ser bastante satisfatórios e a maior parte da oferta de empregos está nas indústrias. Inclusive, se você quiser investir na carreira, tem grandes chances de trabalhar no setor de petróleo: riqueza em nosso Brasil e em outros países pelo mundo!

Além disso, que tal conferir quantas coisas a mais você pode fazer depois que conquistar o seu diploma? Veja:

  1. atuar na indústria de polímetros;
  2. tintas e vernizes;
  3. indústria farmacêutica e de cosméticos;
  4. pesquisa e desenvolvimento de produtos;
  5. com o tratamento de resíduos e fontes de energia renováveis na área ambiental;
  6. no setor de biocombustíveis;
  7. papel e celulose;
  8. aditivos químicos;
  9. indústria alimentícia.

Quanta coisa, não é mesmo? Tudo isso é possível, pois esses setores necessitam de um especialista em transformações físico-químicas, o que exatamente o profissional faz. Quer saber o que são esses processos? Simples! É extrair, obter e transformar as matérias-primas em produto.

3. Engenharia Florestal

O profissional que se forma em Engenharia Florestal é um verdadeiro herói do meio ambiente, já que o principal objetivo do curso é formar pessoas capacitadas para aproveitar os recursos sem danificar o ecossistema.

Tudo a ver com a proposta sustentável das engenharias em alta, até porque sua atuação é pautada na segurança e prevenção dos impactos da vida humana sobre fauna e flora.

O fato de o curso aliar teoria à prática faz da Engenharia Florestal uma graduação ainda mais encantadora. Afinal, quando gostamos do que estamos estudando, não vemos a hora de colocar a mão na massa. Além disso, uma grade que une as duas coisas torna o aprendizado muito mais eficiente e significativo.

 

4. Engenharia de Software

A mesma matéria que traz os dados sobre a expansão da Engenharia no estado do Paraná também menciona que o uso de softwares para evitar desperdícios na construção civil é uma tendência para 2019. Inclusive, traz uma importante fala do presidente do CREA no Paraná:

(...) impressões 3D, usadas no aproveitamento de materiais recicláveis; sistemas informatizados, para gestão e a integração de projetos; além de softwares de gestão, para controlar as variáveis da construção por meio de dados são promessas interessantes para o ramo no futuro.

E é aí que entra a Engenharia de Software. Até porque quem disse que para trabalhar na construção precisa ser engenheiro civil, não é mesmo? O profissional que detém o título de bacharel no curso está apto para analisar e criar soluções inovadoras para essa e outras áreas.

Ao identificar algum problema que pode ser resolvido por meio de um sistema, esse profissional, na verdade, está percebendo uma nova oportunidade de negócios. Então, usa seu conhecimento para avaliar as necessidades, projetar, desenvolver e implementar esses programas. 

Ou seja, você pode começar o curso pensando em se jogar na área de Construção Civil e acabar como um revolucionário em qualquer campo da indústria e do comércio. Se você é criativo, #SeJoga!

5. Engenharia de produção

Por último, mas não menos importante, temos a Engenharia de Produção. O seu campo de atuação é amplo como o de software. Com essa formação, você pode:

  1. identificar oportunidades de negócios para planejar, desenvolver, fabricar e testar novos produtos;
  2. garantir o funcionamento de sistemas indústrias;
  3. projetar e implementar tanto sistemas automatizados e integrados, como instalações industrias;
  4. estudar questões relativas à viabilidade econômica para administrar recursos, custos e realizar a precificação de produtos e serviços;
  5. descobrir como um produto pode ser produzido (isso mesmo que você leu, um engenheiro de produção é tipo um investigador ou inventor);
  6. ser responsável pelo controle de qualidade nas cadeiras de produção;
  7. ser o braço direito de gerente de projetos para que juntos realizem grandes feitos;
  8. comunicar-se com os clientes, fornecedores, equipes e gestores sobre tudo o que acontece em um projeto.

É claro que as possibilidades não param por aqui, mas essa relação é o suficiente para apostar que, enquanto você estava lendo, deve ter imaginado a quantidade de setores do mercado de trabalho em que pode atuar como engenheiro de produção. Realmente, o leque é enorme!

Vale lembrar que, para exercer qualquer uma das engenharias em alta profissionalmente, é preciso se registrar no CREA, ok? A profissão é responsável pelo maior número de títulos no país e, por isso, existe um órgão para fiscalizar o exercício de qualquer engenharia no país.

E então, gostou de saber mais sobre as engenharias em alta? Você se identifica com os cursos voltados para as exatas, ama o Paraná e busca uma instituição de respeito para investir no seu futuro? Entre em contato com a Unicesumar. Aqui, nós levamos o ensino a sério! 

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action