<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Vestibular



 Tags: Vestibular

Ser jovem é ter de lidar com desafios constantes! Numa hora, pegam no seu pé e querem decidir como será toda sua vida. Na outra, você precisa lidar por conta própria com muitos questionamentos e solucionar problemas.

Quando você termina o Ensino Médio, isso tudo fica ainda mais confuso. Manu estava entrando na faculdade e percebia o quanto sua vida começava a ficar diferente. Além disso, sentia-se confusa. A liberdade que tanto desejava se tornava realidade. Contudo, de certa forma, não sabia como lidar com ela. 

Os sentimentos e as experiências de Manu, nessa etapa, são parecidos com o de muitos jovens. Então, se você também acabou de entrar na faculdade, acompanhe esta história! 

Entrando na faculdade: o que eu vou fazer com essa tal liberdade?

Fazia tempo que Manu não encontrava sua psicóloga. Por isso, não via a hora de colocar a conversa em dia. Passara as últimas semanas pensando em várias questões e no tanto que sua vida havia mudado. Saiu de um Ensino Médio rígido e cheio de regras, para, de repente, precisar lidar com um Ensino Superior, no qual tudo parecia ser permitido.

— “Manu! Quero que me conte, com calma, todas suas reflexões feitas nesses últimos dias. Está bem? Depois, eu faço meus apontamentos e chegamos a uma conclusão de tudo”.

Nossa personagem, então, seguiu com o combinado. Em seu relato, começou sua análise.

Diferenças entre Ensino Médio e Ensino Superior

Dá para usar a roupa que quiser

“É fato. Mas isso não necessariamente é a melhor coisa do mundo, sabe? Às vezes, tenho saudade do uniforme da escola, porque era mais prático e eu não precisava, todos os dias, ficar decidindo o que vestir. Porém, têm vezes que me sinto feliz com isso, pois posso de ir de chinelo e sei que ninguém vai me julgar”.

Os professores não ficam mais no seu pé

“Acho que você vai rir disso que falarei. Às vezes, sinto falta que alguém me diga exatamente o que e quando fazer. A maioria dos professores nem liga tanto se estamos prestando atenção ou se tem alguém dormindo. Contanto que você não atrapalhe aula, está tudo bem.

Por causa disso, já fiz algumas besteiras das quais me arrependi depois. Uma vez, passei uma aula toda conversando com minha amiga no WhatsApp. No dia seguinte, fiquei totalmente perdida. Todo mundo estava acompanhando, menos eu. Agora, não sei como vou recuperar essa parte da disciplina”.

Algumas matérias são chatas

“Acho que você se lembra do tanto que demorei para escolher meu curso? Comecei a faculdade com a ilusão de que amaria todas as matérias. Mas me dei conta de que, mesmo muito contente com a minha decisão, ainda terei disciplinas que não me atraem tanto. 

Conversando com os veteranos, percebi que precisarei desse conhecimento mais tarde. Mas é tão difícil lidar com isso. Minha tendência é querer faltar todas essas aulas e assistir apenas às que eu gosto”.

A autonomia aumenta

“Nossos pais não cobram mais tanto se estamos estudando ou não. Precisamos ir atrás das xerox e de textos. Não tem mais mãe para resolver isso. Os professores não ficarão perguntando se conseguimos as cópias. Também não estão nem aí para o fato de não fazermos as leituras em casa. Mas ainda que não briguem, ficamos com um sentimento de culpa imenso depois.

E as festas? Toda semana aparece uma, acredita? Como já fiz 18 anos, minha mãe não restringe quase nada minhas saídas. Nas primeiras vezes que me convidaram, fui em todas. Porém, percebi que isso estava me deixando mais cansada e atrapalhando meu rendimento nos estudos”.

É preciso ter mais planejamento

“Temos que dar conta dos trabalhos de cada matéria, das apresentações orais, das provas. Acabei não me importando muito com isso. Chegava da faculdade e passava o resto do dia assistindo às minhas séries. Algumas aulas eram tão chatas, que eu não tinha paciência e ia embora mais cedo.

Resultado? Fui mal nas primeiras provas. Tenho amigas que trabalham e estudam. Elas também não conseguiram tirar notas boas. Então, percebemos que precisamos de mais planejamento. Eu sei que devo levar isso a sério, me organizar e tirar algumas horas para estudar todo dia. Mas é muito difícil colocar em prática!”

Não dá para deixar tudo para o último momento

“Completando o que acabei de falar, se deixarmos tudo para a última hora, sempre surgirá um trabalho ou qualquer obrigação de outra matéria. E o professor nem se importará com isso, pois dirá que você teve tempo suficiente. Na faculdade, não dá para procrastinar.

Tenho conversado com um pessoal que acabou de se formar no meu curso e eles também falaram sobre isso. Disseram para a gente, desde já, pensar no mercado de trabalho e em ganhar experiências, pois isso facilitará tudo depois. Estou vendo que é muita responsabilidade! E eu não sei direito o que fazer com ela”.

E então? O que dizer sobre tudo isso?

— “Acho que todas suas observações fazem muito sentido, Manu”, disse a psicóloga. “E entendo essa sua confusão de sentimentos. Afinal, foram muitas mudanças, não é? Talvez, você ainda demore para se acostumar, mas acredito que você conseguirá equilibrar isso”.

— “Eu nunca imaginei que fosse ficar tão perdida com essa liberdade, sabe?” — disse ela, com um olhar longe. “Eu sinto, com isso tudo, uma grande cobrança interna”.

— “E cada vez mais erá assim, Manu. Não é fácil para muitos adultos também. Aliás, essa é uma das maiores angústias na vida. Precisamos buscar o autocontrole em diversos momentos, entende? Porque o tempo todo surgirão atividades que parecem mais prazerosas. No entanto, somos responsáveis pelas consequências das nossas escolhas. É preciso ter maturidade e pensar bem antes de agir”.

Bem, essa foi a história de Manu que, entrando na faculdade, percebeu o quanto precisava ser ainda mais consciente das próprias decisões. Ela se deu conta de que era importante equilibrar toda a liberdade que tinha, porque nossa felicidade e nossas conquistas profissionais dependem muito do caminho que trilhamos. A personagem é fictícia, mas retrata muito do que os jovens nessa etapa passam.

Gostou da leitura? Identificou-se com essas sensações? Então, baixe nosso guia de sobrevivência universitário e saiba como lidar melhor com todos os desafios!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Call to action | eBook |  Saiba que curso na área de Humanas deve ser a sua escolha de graduação

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action