<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Motivação



Assistir às aulas, estudar para as provas, fazer trabalhos, perder horas de sono — você já deve ter visto universitários reclamando da falta tempo, certo? Porém, esse não é o único aperto que uma pessoa que está na faculdade enfrenta. Com o salário do começo da carreira e mensalidades a pagar, o dinheiro também encurta bastante! Para atravessar esse período da vida, é fundamental conhecer alguns princípios de administração das finanças pessoais!

Por isso, se você está terminando o Ensino Médio e seu plano é começar uma graduação em breve, não perca este post! Vamos falar de algumas dicas que funcionam para equilibrar as suas contas e não faltar dinheiro para o xerox, para a coxinha da cantina da faculdade, para as mensalidades e nem para um rolezinho no final de semana. Afinal, ninguém é de ferro! Confira!

1. Controle seu orçamento

Muita gente acredita que dá para fazer faculdade no esquema "deixa a vida me levar". Eles recebem o dinheiro no começo do mês e vão gastando, sem qualquer controle, até que ele acabe (alguns dias depois). Porém, essa não é a melhor maneira de controlar as finanças pessoais.

Para ter um bom controle, você precisa:

  • anotar suas despesas fixas (moradia, mensalidade da faculdade, transporte, conta do telefone, alimentação);
  • ter certeza de que sua renda cobre essas despesas;
  • registrar cada gasto realizado no mês (até mesmo os centavos).

Existem até mesmo aplicativos que servem para ajudar nesse controle. Você consegue registrar as receitas (entradas de dinheiro) e despesas no seu smartphone. Assim, fica mais fácil saber quais são os seus gastos e como reduzi-los.

2. Reduza os gastos

Analise bem os gastos que você registrou, seja em uma planilha, em um caderninho ou aplicativo. Veja quais são as despesas que é possível cortar para fazer uma parte do dinheiro sobrar no final do mês — ou pelo menos para não ficar devendo. Uma boa dica é:

  • cortar supérfluos: a coxinha é importante para matar a fome, mas a trufa que vem depois dela, nem tanto. Nesse caso, ela deve ser cortada do seu orçamento ou consumida apenas uma vez por semana;
  • reduzir o que não é tão importante: dá para trocar um plano de 4G ilimitado, por exemplo, por um pacote mais barato;
  • otimizar o que é essencial: preparar sua marmita em casa pode sair bem mais barato (e saudável) do que comer no restaurante ou lanchonete.

3. Mantenha uma reserva de emergência

Imprevistos podem acontecer a qualquer momento. Por isso, é importante que você tenha uma reserva equivalente ao seu orçamento de pelo menos um mês. Se guardar esse valor parece impossível nesse momento, comece aos poucos: reserve um décimo do que recebe todos os meses até ajuntar uma quantia maior.

Mas lembre-se: só mexa nesse dinheiro se aparecer uma dificuldade crítica. Liquidações de blusinhas, shows no final de semana e capinha para celular não contam como emergências, combinado?

O ideal é deixar esse dinheiro no banco, em uma aplicação que permita o resgate a qualquer momento, ou seja, que tenha liquidez diária. A poupança não é indicada para isso porque, além de render abaixo da porcentagem de inflação, é preciso esperar o dia do vencimento para retirar o dinheiro sem perder o rendimento referente àquele mês.

Nosso conselho é que você abra uma conta em uma corretora (é online e de graça!) e deixe esse dinheiro guardado no Tesouro Selic, por exemplo. Outra opção são os CDBs de liquidez diária, desde que eles paguem um valor próximo a 100% do CDI.

E por falar em bancos ou corretoras, procure aqueles que têm as menores taxas do mercado. Hoje em dia, há instituições em que você abre a conta até mesmo pelo smartphone e que cobram um valor mensal muito baixo.

5. Procure ganhar mais dinheiro

Para não sofrer aperto nas suas finanças pessoais, o segredo não é só gastar menos. Você também pode usar suas habilidades para ganhar mais e contribuir para o seu caixa aumentar. Mesmo que já trabalhe durante a semana ou faça uma graduação em período integral, sempre é possível pegar alguns trabalhos como freelancer e fazer uma renda extra.

Quer alguns exemplos? Como estudante universitário, você pode dar aulas particulares sobre as matérias em que tem muita facilidade. Além disso, também dá para passear com os cachorros dos vizinhos ou hospedar pets por meio de aplicativos, cuidar de crianças, vender lanche natural na própria faculdade, diagramar conteúdo para a internet... O que não faltam são atividades que garantem uma graninha extra enquanto estuda.

6. Deixe o cartão de crédito em casa

No dia a dia, é comum as pessoas fazerem várias compras por impulso. Como o cartão de crédito está na mão, elas simplesmente pagam a conta e empurram a solução do problema para depois. Só que essas pequenas despesas podem se transformar em uma avalanche e arrasarem com seu orçamento.

Uma boa dica é deixar o cartão de crédito em casa, em um local muito seguro. Com isso, mesmo que surja o impulso de comprar, você não terá como fazer isso na hora. Sabe o que acontecerá depois? A vontade vai passar e haverá um tempo para refletir e analisar se aquele objeto é mesmo necessário. Geralmente, a resposta é não!

7. Faça uma pesquisa de preços

Mas se você chegou à conclusão de que realmente precisa comprar algum objeto, como uma roupa ou calçado, não saia entregando o seu dinheiro na primeira loja. Você vai se surpreender com a grande variação de preços que existe no comércio. Então, antes de levar o produto para casa, faça uma pesquisa de preços.

Depois de visitar algumas lojas e ter uma ideia do preço médio de uma mercadoria, você pode analisar também o custo-benefício da compra. Se uma loja cobra um valor um pouquinho maior porque seu produto realmente tem uma qualidade muito melhor, vale a pena investir em um produto que vai durar mais tempo.

Com foco e disciplina, você vai conseguir administrar as suas finanças pessoais e não se endividar durante a faculdade. Em alguns momentos, será necessário abrir mão de alguns desejos, como comprar uma roupa nova ou ir para aquela balada com os amigos.

Porém, lembre-se: a faculdade é um período curto da vida. Logo, o seu "sacrifício" de hoje vai garantir o seu sucesso profissional em um futuro próximo. Em poucos anos, você terá um trabalho muito melhor remunerado que vai permitir viver com tranquilidade e realizar todos os seus sonhos.

E aí, gostou das dicas para administrar suas finanças pessoais durante a faculdade? Acha que elas podem ser úteis para os seus amigos, também? Então, não perca tempo! Compartilhe o post nas suas redes sociais e marque seus contatos!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action