<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Vestibular / Dicas de estudos



Quando pensamos nas habilidades do engenheiro civil, a resposta parece ser bastante óbvia. Afinal, quem constrói casas e prédios e coordena as atividades de mão-de-obra só pode ser um gênio da matemática, certo? Não é bem assim...

O papel do engenheiro civil no mundo das construções é bem mais amplo do que o nosso senso comum nos deixa pensar. Para garantia que uma obra seja feita com qualidade e segurança, ele precisa planejar, projetar, controlar, coordenar, gerenciar, criar ferramentas e integrar todos os departamentos envolvidos nesse processo.

Cansou só de ler? Não desanime, pois a profissão é gratificante! Dê uma olhadinha nas competências necessárias para realizar todas essas atividades da melhor maneira possível e fique encantado pela engenharia!

Capacidade de criar soluções inteligentes para problemas complexos

As habilidades do engenheiro civil envolvem a capacidade de lidar com a complexidade. Você já chegou a ver um projeto elaborado por um engenheiro? Ou algum daqueles programas sobre as maravilhosas obras da engenharia? Se já teve oportunidade, sabe o quão complexo pode ser esse trabalho!

Para elaborar estratégias seguras, criativas e impactantes, é preciso se concentrar em dados sólidos e, assim, poder entregar um projeto seguro e inovador. Nesse contexto, as aptidões mais indicadas para isso são:

  • capacidade de raciocínio lógico, praticidade, criatividade, flexibilidade e objetividade;
  • habilidades em comunicação e espírito de colaboração para lidar com toda uma equipe;
  • ter visão de mercado para propor projetos inovadores;
  • simpatizar com a área de exatas;
  • ter senso de observação.

Não adianta apenas saber calcular o material necessário para que um prédio não desmorone. Por exemplo, se você fosse o engenheiro responsável por Palm Island, em Dubai, teria que analisar fatores como ventos, força das ondas e das marés além da estrutura dessas ilhas. Além de, é claro, observar atentamente e de forma detalhista a execução de todo o projeto!

Lembra a queda da ciclovia do Rio de Janeiro? Certamente, muitos desses fatores infelizmente passaram batido.

Análise de custos, pulso firme e tomada de decisão

Determinar a viabilidade de um projeto também depende da capacidade que o engenheiro tem para analisar e observar custos financeiros para tomar decisões compatíveis com o empreendimento, que não comprometam a segurança da obra.

Não há área em que o ditado “o barato sai caro” seja mais pertinente que a construção civil! Se você decide por essa profissão e encontra um cliente que quer otimizar o orçamento a qualquer custo, é preciso ter força nos argumentos para que as decisões tomadas não causem uma tragédia.

É claro que a economia nem sempre vai causar a queda ou incêndio de um prédio. Entretanto, é bom ficar atento a questões como piso, rebocos e afins. Imagine você que, pouco tempo depois de entregar uma obra, recebe uma ligação informando que as paredes começam a descasar. Certamente vai gerar insatisfação, inúmeras reclamações e o seu nome ficará manchado.

Por isso, é de extrema importância que o engenheiro civil mantenha uma postura firme, que sustente suas decisões e seja capaz de fazer boas análises para sustentar suas teorias ao investidor.

Desenvolvimento e gerenciamento de projetos

Um engenheiro civil competente deve apresentar uma visão global de qualquer projeto, sendo capaz de treinar e gerenciar grandes equipes e atingir os resultados projetados sem maiores problemas.

Esse profissional atua em várias frentes, mas as principais técnicas de construção precisam ser dominadas por qualquer estudante que encerre a graduação. Os conhecimentos sólidos sobre estradas, transportes, hidráulica, estrutura, matérias-prima devem estar alinhado a:

  • aptidão para fazer cálculos;
  • facilidade em desenhar, projetar e analisar construções;
  • capacidade de representar essas obras graficamente;
  • supervisão, inspeção e reabilitação dessas construções;
  • capacidade de avaliar corretamente o impacto ambiente de cada obra;
  • familiaridade com sistemas de tecnologia, softwares e demais ferramentas voltadas à engenharia civil;
  • conhecimento e atuação com recursos que incentivem o desenvolvimento sustentável.

Liderança e Comunicação

Uma obra não se constrói sozinha, como você bem sabe. Dependendo do porte, as equipes são gigantescas. Habilidades em comunicação, já citadas anteriormente, são fundamentais para deixar tudo alinhado, de forma que nenhuma informação fique perdida pelo caminho.

Imagine que você é o engenheiro responsável pela construção de um prédio de luxo de 15 andares. Tem ideia de quantos trabalhadores vão estar envolvidos em cada etapa? Nesse processo, é necessário assumir uma postura de líder, que saiba ouvir e ser ouvido, impulsionando as equipes para que sejam atingidos os resultados esperados.

Nesse sentido, podemos definir como um conjunto de habilidades necessárias:

  • ter perfil de líder;
  • facilidade para coordenar setor que envolve recursos humanos;
  • produtividade para gerenciar equipes e projetos;
  • atuar na resolução de conflitos e propor soluções sólidas;
  • bom relacionamento interpessoal;
  • domínio de técnicas de controle de qualidade;
  • promoção de ações de motivação.

Ser bom com números

Ser engenheiro, inevitavelmente, demanda habilidades em fazer cálculos. No entanto, é preciso ter cuidado ao avaliar o seu desempenho em matemática se baseando somente na sua atuação no colégio.

Conforme vamos crescendo, evoluímos em todos os sentidos. A cabeça também é outra ao entrar na faculdade, além dos métodos de ensino serem totalmente diferentes do que é aplicado no Ensino Médio. Ou seja, se você não teve uma experiência muito boa, não significa que não vai ser um bom engenheiro.

E se você conhece algum estudante de engenharia, possivelmente já deve ter ouvido horrores sobre as disciplinas que envolvem cálculo. No entanto, certamente não conhece ninguém que não conseguiu concluir a graduação por conta disso, não é mesmo?

Bom, em algum lugar do mundo até deve ter, mas não é comum a ponto de ser motivo para ficar horrorizado com isso e descartar a hipótese de estudar engenharia civil. Afinal, além de ser uma profissão desejada por muitos jovens, é considerada uma das ocupações promissoras para o futuro.

O mais importante de tudo isso é saber que as habilidades do engenheiro civil são tantas que até mesmo aquelas que não fazem parte de você naturalmente podem ser trabalhadas durante a graduação. Por isso, se você está pensando em investir no curso, não desista!

Prestou atenção aos detalhes e ficou curioso para saber que história é essa de profissão do futuro? Então aproveite a visita ao blog e confira nossas dicas sobre o assunto!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action