<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo_unicesumar_horizontal_original
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Dicas de estudos



Quando você precisa se concentrar para estudar e mora em uma casa que mais parece uma micareta em relação ao barulho — sua mãe falando, seu irmão ouvindo música alta, o telefone tocando, o cachorro latindo —, dá vontade de escrever uma carta de agradecimento ao inventor do fone de ouvido, não é mesmo? É só dar play em uma trilha do seu gosto no Spotify e pronto! Parece que sua dedicação até rende mais.

Alguns sons têm o poder de fazer com que absorvamos melhor os conteúdos que estão sendo estudados. Assim, ao acertar na música para estudar, o resultado vai ser você gabaritando uma prova ou fazendo uma tarefa em menos tempo. E tudo isso enquanto sua casa segue na barulheira sem fim.

Aqui, você vai entender melhor como isso é possível e, de quebra, vamos ajudar na escolha da playlist perfeita para a rotina de estudos. Vale dizer que não é pra escutar qualquer música enquanto você está se dedicando. Coloque seu fone, deixe em um volume confortável e #partiu entender essa relação!

Por que ouvir música faz diferença na concentração?

Esse fato comprovado a gente deve ao psiquiatra e pesquisador búlgaro Georgi Lozanov. Na década de 1960, Geordi estava relacionando a música a técnicas de estudo em uma pesquisa que ficou conhecida por sugestopedia.

A ideia dele era a seguinte: músicas relaxantes, que permitem ao nosso cérebro entrar em um estado de vigília relaxada (momento em que ocorre uma intensa atividade cerebral), fazem com que as informações estudadas fiquem gravadas na memória profunda de longo prazo.

Determinados sons podem criar um ambiente mais calmo, fazendo com que o cérebro rompa qualquer tipo de barreira contra o ato de aprender. A teoria se comprovou quando o pesquisador separou seus alunos em dois grupos. No primeiro deles, a tarefa foi bem básica: apenas responder algumas questões. Já no segundo, enquanto fazia a prova, ouvia compositores clássicos, como Mozart, Vivaldi e Bach.

Precisa dizer que o resultado foi surpreendente? O primeiro grupo, sem o apoio da música clássica, acertou cerca de 25% das questões quando comparado com a segunda turma, que teve um aproveitamento de 95%! Loucura, não é?

O educador usava a música, primeiro, para facilitar que os alunos relaxassem, possibilitando o estado de vigília relaxada. Depois, enquanto as informações eram transmitidas. Por fim, para fixar as informações. Se você ainda está na dúvida, leve em conta estes fatores:

  • uma mente estressada é mais dispersiva, ou seja, tem problemas em focar;
  • após o relaxamento, a primeira hora que se segue é benéfica ao aprendizado;
  • alunos submetidos ao relaxamento antes da aula ficam mais abertos a aprender e se envolvem com os temas.

O Spotify, serviço de streaming de música, também encomendou um estudo britânico para entender o que o som pode fazer pelo bom desempenho. De acordo com os relatos obtidos, os estudantes que optaram pela música clássica durante seus períodos de concentração tiveram um desempenho 12% melhor em suas provas de matemática!

De acordo com as pesquisas de Georgi Lozanov e do Spotify, as músicas citadas são o estilo clássico, ou seja, somente instrumental. Ao ouvir música com letras, você pode até desestressar, mas o processo de concentração se prejudica porque você está prestando atenção ao que a canção diz.

Então, esqueça os refrões que você ama mais que tudo! Se o foco é mandar bem na prova, a gente ajuda você na escolha da playlist ideal.

Quais são as melhores playlists de música para estudar?

Cada um tem seu gosto musical e muita gente não é tão fã de estilos clássicos — mas dá para contornar isso. O segredo é achar o estilo de música que vai deixar você mais à vontade, relaxado e com a concentração nota mil para os estudos. Atenção às nossas dicas!

1. Sons da natureza

Coisa mais deliciosa aquele barulhinho de chuva na janela! Mas não precisa ser só isso: você pode optar por chuva forte, ventania, barulhos de animais nas florestas, passarinhos ao nascer do dia… É muita alternativa!

São encontrados diversos tipos na Internet. Vale até buscar por músicas para meditação — é só focar o seu preferido e se jogar durante os estudos.

2. Lo-Fi Hip Hop

Também conhecido como chillihop, ou seja, uma batida para "ficar de boa". São sons menos agressivos e vibrantes que o hip hop tradicional. Por ser suave e melódico, dá para dizer que o relaxamento é quase instantâneo, viu?

Existem diversas playlists nos serviços de streaming musical, e no YouTube há inúmeros canais focados nesse estilo, como o do ChilledCow — que tocou bastante enquanto este texto estava sendo produzido.

3. Clássicos

Mesmo se você acha que não gosta, dê uma chance! São músicas mais antigas, que podem fazer toda a diferença no seu ambiente de estudo. O mais legal desse tipo de som são as variações, que vão atingindo uma espécie de clímax. Uma dica pra começar? Aposte em Mozart, concertos ao piano.

A música barroca, citada pelo estudo de Georgi Lozanov, também conta com nomes como Domenico Scarlatti, François Couperin, Bach e Vivaldi.

4. Trilhas de videogame

São sons feitos a partir de sintetizadores eletrônicos e, por isso, acabam sendo considerados um estilo musical próprio. Algumas trilhas são bem famosas, como as de Journey, The Last Of Us, Transistor e Undertale. Prepare-se para um festival de toques que vão da animação e diversão aos mais tranquilos e cheios de ação.

Por que estudar ouvindo música amplia a criatividade?

Já que estamos falando sobre o poder da música na sua vida, que tal irmos um pouco além? Você sabia que uma playlist bem escolhida pode tirar você do temido bloqueio criativo, que todo estudante enfrenta ao menos uma vez durante o curso? A verdade é que a música nada mais é do que uma forma de expressão, e por isso está intimamente ligada às emoções

Por isso, em tarefas que dependem de certo estímulo criativo, estar cercado por música é uma estratégia certeira para deixar seu potencial fluir. Lembra do estado de vigília relaxada? Pois é, ele é o principal responsável por esse efeito positivo na sua criatividade.

Não é a toa que profissionais que dependem desse processo de criação diariamente (como jornalistas, designers e artistas em geral) recorrem às suas músicas preferidas sempre que se sentem pouco inspirados ou travados. E como você pode usar isso na prática?

É muito simples: sempre que for se dedicar a uma tarefa que exige sua criatividade, prepare uma seleção de músicas que expressam a emoção que você quer sentir naquele momento. Vale até pegar ritmos mais animados para dar um start na sua produção — mas nada de ligar o som no último volume e deixar a casa de cabelo em pé, combinado?

Como a música auxilia no aumento da memória?

Essa dica vai para quem costuma estudar bastante, mas sente que esquece tudo na hora da prova: alguns sons, principalmente, instrumentais, têm um efeito quase mágico no nosso cérebro, e ajudam a guardar informações que vamos precisar depois. Estudar ouvindo música clássica, por exemplo, aumenta muito as chances de memorizar fórmulas ou dados importantes.

Isso porque a melodia mexe diretamente com a parte do cérebro ligada às funções cognitivas. Um dos estudos mais recentes sobre isso, feito na Universidade de Helsinque, mostrou que, além de acender o cérebro nas áreas ligadas ao aprendizado, a música clássica ativa os genes que impedem a degeneração do cérebro!

Se você quiser experimentar isso em casa, a música era o Concerto para violino número 3, de Mozart. Mas, se a sua criatividade já deu as caras por aí, que tal tentar a influência da música na memória de outra maneira?

Inspire-se nas músicas "chiclete", que não saem da nossa cabeça, e crie paródias das suas melodias preferidas usando a matéria que você precisa estudar. Esse truque é superconhecido (principalmente, em cursinhos) e funciona mesmo! Depois, conte aqui se deu certo?

Qual é o papel da música no relaxamento e alívio do estresse?

Por último, vale lembrar que a música pode ser uma aliada poderosa no relaxamento e no controle do estresse e da ansiedade. Afinal, todo mundo tem aquele som preferido, que faz esquecer de tudo e se sentir completamente em paz, não é mesmo?

Pode até não parecer, mas fazer uma pausa dos estudos e se jogar nas suas músicas favoritas pode fazer muito pelo seu desempenho acadêmico, sabia? Na verdade, o que acontece é que o estresse atrapalha o aprendizado, diminui o raciocínio lógico e prejudica a memória.

Então, toda vez que você sentir que os estudos não estão rendendo por conta de ansiedade, vale a pena programar uma pausa musical e curtir o momento sem culpa. Só não vale tornar isso um hábito, certo?

Colocar música para estudar é uma delícia e vai fazer você aprender muito mais porque está focado nisso! Só tome cuidado para ouvir em um volume que não agrida seus tímpanos, ok?

Também ajuda demais escolher um fone que dê a você muito conforto para esse momento. A parte boa é que, ao finalizar seu momento de estudo, vale dar play na sua trilha da vida e sair dançando! A gente apoia demais!

Agora que ajudamos você a encontrar um som perfeito para melhorar sua concentração e, consequentemente, seu aprendizado, que tal assinar nossa newsletter para receber conteúdos focados em educação, vida universitária, autodesenvolvimento e muito mais? Não perca tempo!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS
    New call-to-action
    New call-to-action
    planejamento financeiro

    Nova call to action

    Nova call to action

    Nova call to action

    Nova call to action

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    New call-to-action

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action