<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
logo-topo-blog-1
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Humanas



 Tags: Humanas

Quando o assunto é escolher uma profissão, existem dois tipos de pessoas: as que já cresceram sabendo qual faculdade queriam fazer e aquelas que ficam perdidas em meio a tantas opções! Se você está no segundo grupo e gosta de ensinar, leva jeito com crianças e vive tentando entender o comportamento humano, existem três cursos que podem conquistar seu coração: Psicologia, Pedagogia e Psicopedagogia.

Porém, se os nomes parecidos dão a impressão de que essas três profissões são iguais, não se deixe enganar. A verdade é que existe uma série de diferenças entre essas áreas, que vão desde as disciplinas estudadas durante o curso superior até o mercado de trabalho.

Quer saber qual dessas graduações é a melhor para você? Nós vamos ajudar nisso! Neste post, você vai descobrir exatamente o que essas áreas têm em comum e como cada uma delas se diferencia. #Partiu?

Existem semelhanças entre Psicologia, Pedagogia e Psicopedagogia?

Apesar de serem bem diferentes entre si, existem algumas características parecidas entre os três cursos, começando pelo fato de que todas essas áreas são boas escolhas para quem gosta de lidar com pessoas e ajudá-las em qualquer que seja seu momento da vida.

Além disso, se você costuma fugir de fórmulas e cálculos, temos uma boa notícia: a quantidade de matérias de exatas é bem menor do que em outras profissões.

Em que esses cursos se diferenciam?

Tempo de formação, assuntos estudados, estágios... acredite: é possível diferenciar Psicologia, Pedagogia e Psicopedagogia de diversas formas! Para facilitar tudo, separamos aqui as 5 maiores diferenças que você vai encontrar em cada um deles.

1. O que cada curso estuda

Vamos combinar: não dá para passar anos estudando algo de que você não gosta, concorda? Por isso, é muito importante saber o que é estudado em cada um desses cursos! Vamos começar por Psicologia, que é um bacharelado da área da saúde, mas que também tem assuntos de humanas.

Então, caso decida se tornar um psicólogo, prepare-se para estudar matérias como Biologia, Bioestatística, Ciências Fisiológicas e outras matérias da área de biológicas, além de disciplinas como Relações Interpessoais e Formação Social e Ética.

Já a Pedagogia é uma licenciatura, por isso, os pedagogos aprendem tópicos essenciais para que possam atuar na área de educação, como Didática, Prática de Ensino e Problemas de Aprendizagem. Porém, ao longo do curso, você também estuda algumas disciplinas semelhantes ao curso de Psicologia, como Formação Social e Ética.

Por fim, temos a Psicopedagogia, que é o bacharelado responsável por unir características da Psicologia com a Pedagogia. Então, nesse curso você terá matérias da área da saúde com foco na atuação no ramo educacional, como Neurociência e Aprendizagem, Psicologia da Educação e Educação Inclusiva.

2. Tempo médio de curso

Uma das maiores dúvidas de quem vai começar a faculdade é o tempo de duração do curso. Se você também está se perguntando isso, chegou a hora de ter a resposta! Normalmente, o curso de Psicologia é o mais longo entre os três, com duração média de 5 anos. A formação em Psicopedagogia, por sua vez, tem duração de 4 anos, enquanto Pedagogia tem menor duração: cerca de 3 anos e meio.

3. Foco de cada formação

Se você pensou que o aprendizado de disciplinas diferentes resulta em áreas de atuação diferentes, acertou! Cada uma dessas profissões tem um foco: a Psicologia é um curso voltado para quem deseja atuar no ramo da saúde e qualidade de vida, tratando de questões comportamentais e emocionais.

No caso da Pedagogia, a graduação é focada em formar profissionais que pretendem trabalhar diretamente com o ensino, principalmente nos primeiros anos da educação básica. Ou seja: é a opção ideal para quem deseja ser professor.

A Psicopedagogia, por unir aspectos das duas áreas, oferece uma formação focada em identificar problemas na aprendizagem e maneiras alternativas de promover o aprendizado eficiente. Sendo assim, é possível trabalhar tanto no ramo da saúde, quanto no setor educacional.

4. Mercado de trabalho

Atualmente, há espaço no mercado para atuar nessas três carreiras! Os psicólogos podem trabalhar de diversas formas, seja no setor público ou no privado, atuando em clínicas especializadas em saúde mental, hospitais e até mesmo em grandes empresas, escolas e ONGs.

Os pedagogos, apesar de muitas vezes optarem pela atuação como professores, também tem outras opções: eles podem se tornar orientadores educacionais, diretores de escolas, coordenadores, entre outras funções cada vez mais necessárias.

E os psicopedagogos? Mais uma vez, eles podem conquistar vagas em ramos diferentes! O mais comum é que atuem em escolas, lidando com estudantes que apresentam dificuldades com os métodos tradicionais de aprendizagem, e também na atuação clínica com crianças.

5. Perfil de cada curso

Outra diferença muito relevante é o perfil do profissional de cada área! Por conta das habilidades e competências que são desenvolvidas ao longo da graduação e dos estágios realizados, os cursos são voltados para estudantes de perfis distintos.

Normalmente, os estudantes de Pedagogia e Psicopedagogia são aqueles que gostam de lidar com crianças e de compartilhar conhecimento. Já os futuros psicólogos, para que consigam desenvolver bem seu trabalho ao longo da carreira, buscam entender cada vez mais a mente humana.

Ah, e essas características costumam ir além da graduação: elas também interferem na rotina de trabalho de quem se forma em cada uma dessas áreas. Então, enquanto psicólogos costumam passar boa parte do tempo fazendo atendimentos em consultório, os psicopedagogos e pedagogos normalmente passam mais tempo realizando planejamento de aula e aplicando técnicas necessárias para que o aprendizado aconteça.

Chegou a hora de escolher qual desses cursos é a sua cara! E quer saber a melhor forma de fazer isso? Descubra o que você gosta, identifique suas habilidades e defina qual área de atuação é mais adequada para o seu perfil. Dessa forma, será mais fácil descobrir qual é a melhor opção.

Vale lembrar que definir o curso é um passo importante, mas existe mais uma coisa que faz toda a diferença para o seu futuro: escolher a universidade certa, independentemente do que você pretende estudar. Busque uma instituição que tenha a estrutura que você precisa e que seja bem avaliada pelo MEC.

Quer saber mais sobre algum desses cursos? Entre em contato com a UniCesumar e veja como você pode dar o primeiro passo para uma carreira promissora!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Nova call to action

    Um cabeçalho claro e arrojado

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action