<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Blog da UniCesumar
VESTIBULAR UNICESUMAR

•   Início Vestibular



 Tags: Vestibular

Teste vocacional é uma forma de identificar quais são as atividades que você tem uma tendência natural para exercer. É por isso que leva esse nome, já que ele busca identificar sua vocação. Então, essa é uma ferramenta útil para ajudar quem está em dúvida na escolha de uma carreira e de qual faculdade fazer.

A proposta do teste vocacional é mostrar a você quais atividades têm mais a ver com o seu perfil e que, portanto, oferecem uma probabilidade maior de satisfação e sucesso profissional. É muito recomendável para quem pensa em começar uma faculdade e até mesmo para as pessoas que já têm uma profissão, mas querem mudar de direção.

Nesse post, você descobre mais sobre como o teste vocacional funciona e como ele pode nortear sua carreira. Vamos lá?

Como é feito o teste vocacional

Existem diferentes tipos de teste vocacional. Alguns são simples e estão, inclusive, disponíveis gratuitamente online. Eles são compostos por uma série de questões de múltipla escolha que buscam explorar o modo de pensar, as percepções, comportamentos e preferências da pessoa. Ao final, ele associa essas respostas às atividades com as quais elas são mais compatíveis.

Veja logo abaixo alguns exemplos de questões que você pode encontrar nesse tipo de teste.

  • Como você se sente fazendo uma atividade em grupo?
  • Qual característica faz você se destacar mais?
  • Qual tipo de atividade você prefere fazer nas horas livres?
  • Qual tipo de atividade você evita fazer, quando pode?
  • Como você se comporta em uma situação de conflito?
  • Como seus amigos descreveriam você?
  • Que tipo de comportamento mais incomoda você?

Vale a pena dizer que esse tipo de teste vocacional é bem livre, ou seja, as perguntas e respostas variam bastante de um para outro. Então, é uma boa ideia fazer mais de um modelo e comparar os resultados, em vez de confiar apenas em um único resultado.

Também existem testes vocacionais de maior complexidade, aplicados por psicólogos e psicopedagogos, que empregam outras ferramentas para entender e analisar as tendências do indivíduo. Esses são testes individualizados, que se assemelham bastante a sessões de coaching.

Eles têm um embasamento científico mais sólido e só podem ser aplicados por especialistas. Como você deve ter percebido, por serem mais completos, podem ser a solução a solução ideal para ajudá-lo no direcionamento profissional. Por isso, que tal dar preferência a eles?

Como o resultado do teste vocacional ajuda na escolha de carreira

Então, você faz o teste vocacional e ele identifica, por exemplo, que você apresenta tendências introvertidas e uma habilidade para lidar com números. Diante disso, pode ver a Contabilidade como uma opção de carreira. Ou, pelo contrário, identifica que você é comunicativo e gosta de ler: então, indica o Direito como uma profissão que atenderia às suas expectativas.

Perceba que ele indica opções de carreira. Isso não significa que você só poderá ser feliz e ter uma vida profissional de sucesso se seguir essas indicações. Mesmo que o teste indique Contabilidade, se o seu sonho é o Direito, você tem total liberdade para fazer sua escolha.

O intuito do teste é simplesmente apontar uma direção para quem se sente perdido, diante da infinidade de possibilidades que existem. Além disso, ele também mostra o caminho que, supostamente, seria mais fácil de seguir, porque se alinha com o seu perfil. Porém, se você está disposto a enfrentar um desafio, pode se reinventar para seguir a carreira que quiser!

Como o teste vocacional se distingue de outras ferramentas de carreira

Além do teste vocacional, talvez você já tenha ouvido falar em orientação profissional e, até mesmo, reorientação profissional. Todas essas são ferramentas para ajudar na carreira, mas não são a mesma coisa.

O teste vocacional, como você viu, ajuda a identificar tendências do perfil do indivíduo e associar com algumas opções de carreira.

A orientação profissional, por sua vez, é voltada para quem já fez uma escolha de carreira e agora quer progredir nesse caminho. Ela ajuda a desenvolver um mapeamento de carreira, a identificar competências que precisam ser desenvolvidas para crescer profissionalmente, a tomar decisões na escolha de empregos e a construir uma rede de contatos forte.

Enquanto isso, a reorientação profissional também é voltada para quem já fez uma escolha de carreira, mas deseja mudar seu caminho. É muito comum que, após alguns anos, os profissionais percebam que sua vida profissional não está trazendo mais satisfação — isso acontece principalmente quando, lá no começo, não se faz uma escolha consciente do curso de graduação.

Felizmente, ninguém está preso a uma carreira por toda a vida. Então, quando isso acontece, é possível contar com a ajuda de um especialista para traçar uma nova rota, sem perder tudo que já foi construído. Aí, pode ser o momento de cursar uma segunda graduação.

Cuidados a tomar com o teste vocacional

O principal cuidado que você deve tomar com o teste vocacional é não tratá-lo como uma previsão do futuro. Ele não pode dizer, com toda a certeza, qual carreira você deve seguir. Na verdade, ele é apenas uma ferramenta para facilitar e apoiar uma escolha importante.

Justamente por esse motivo, você não pode basear sua decisão somente no teste vocacional. Também é preciso buscar o máximo possível de informação sobre os cursos e as carreiras em que você está interessado e fazer um exercício de reflexão pessoal sobre suas expectativas, prioridades e metas.

Uma boa recomendação é conversar com pessoas que já trabalham em diferentes áreas que despertam sua curiosidade — médicos, arquitetos, engenheiros, biólogos, advogados, contadores, administradores — e perguntar como é a rotina de trabalho deles, quais são os pontos altos e baixos, quais são os desafios para se destacar na carreira.

Além disso, quando fizer o teste vocacional, para ter um resultado confiável, você deve responder às questões com honestidade. Por exemplo, se você gosta mesmo de sair com os amigos, não responda que seu hobby é ouvir música clássica, só porque parece a resposta certa.

Não existe certo e errado nesse momento. Afinal, mesmo que o resultado não seja o que você espera, não existe obrigação nenhuma de segui-lo, como já vimos.

Se você tiver condições de fazer o teste vocacional com um especialista, vale a pena recorrer a ele. A profundidade é bem maior, afinal, as pessoas não são todas iguais. Logo, um teste padronizado não consegue captar as individualidades que afetam o perfil profissional de cada uma.

Gostou de aprender mais sobre o teste vocacional? Quer outras dicas para escolher a sua carreira e o curso de graduação certo para você? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS

    Vestibular Agendado UniCesumar - Inscrições Abertas

    TESTE DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

    New Call-to-action

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action