<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=344581662787026&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Blog da UniCesumar
INSCREVA-SE NO VESTIBULAR

•   Início Dicas de carreira



A escolha da carreira é algo que se inicia bem cedo no Brasil. Ao sair do Ensino Médio, o aluno já parte para o vestibular, devendo selecionar um dentre os diversos cursos existentes nas três grandes áreas: Exatas, Humanas e Biológicas. 

Na maioria das vezes, essa decisão é tomada por volta dos 17 anos, ou seja, na adolescência. Nesse momento, os jovens ainda não têm um conhecimento de mercado tão aprofundado — nem sequer sabem como é o dia a dia de cada profissão. 

Assim, guiados inicialmente pela afinidade com certas matérias dadas na escola, pela preferência dos pais ou incentivados pelas vantagens financeiras, é bem normal que exista a possibilidade de ele chegar lá na frente e ver que, na verdade, precisa investir em uma transição de carreira

Além da decisão precoce, as mudanças no mundo do trabalho são constantes e é preciso saber acompanhá-las. Antes, por exemplo, um profissional passava praticamente toda a sua vida exercendo uma mesma função e talvez até se aposentasse na primeira empresa em que teve sua carteira assinada. 

Porém, isso mudou com o passar do tempo: não estamos mais na era dos especialistas. As organizações buscam colaboradores multitarefas, e a alta competitividade traz à tona maior rotatividade de funcionários.

Então, seja por uma escolha precoce ou uma mudança de mercado, a transição de carreira é algo que passa pela cabeça de muitos brasileiros. Afinal, segundo uma pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva, mais de 55% da população atuante está insatisfeita com o próprio trabalho.

Mas para que esse processo ocorra de forma efetiva, é preciso saber identificar sua causa motivadora e fazer um bom planejamento. Você está preparado para isso? Trouxemos este guia completo sobre transição de carreira exatamente para que você não precise passar por tudo isso sozinho. Vamos lá? 

O que é transição de carreira

Para entender o que é transição de carreira, é preciso saber identificar as diferenças entre carreira e emprego. O emprego é apenas um dos degraus da escada, enquanto a carreira é todo o percurso que você faz até chegar no topo — que é onde todos nós queremos estar, não é mesmo? 

Conhecer essas definições é importante para que você possa identificar qual é a sua motivação para alterar a trajetória profissional, que corresponde à transição de carreira. Afinal, isso faz toda a diferença na hora de montar um planejamento, uma vez que o processo pode ocorrer de forma programada ou inesperada.

Na primeira opção, normalmente o profissional vai percebendo suas insatisfações com relação ao rumo que essa parte de sua vida está tomando, pois ele começa a: 

  • ficar desmotivado ao realizar as suas funções; 
  • sentir que a sua profissão está desvalorizada;
  • ver que o seu plano de carreira está estagnado.

Na transição inesperada, a pessoa é pega de surpresa por situações em que:

  • a profissão deixa de existir por completo ou fica cada vez mais incomum (a exemplo dos trocadores de ônibus);
  • há crise ou demissões em massa no setor;
  • ele não consegue acompanhar as transformações da área. 

Por mais que pareça difícil se preparar para uma mudança que não parte de você, mas sim que foi imposta, saiba que é possível. Para isso, não deixe de se atualizar e qualificar, assim, você consegue ter todas as cartas na manga, antes de ser atingido por essa situação.

Nesse contexto, é muito importante lembrar: não confunda o descontentamento com a empresa na qual você trabalha com a insatisfação relacionada à carreira, combinado? Muitas pessoas ficam frustradas com os processos ou a cultura da organização e acabam levando isso para o lado pessoal. Então, cuidado!

Qual o momento certo para essa mudança

Como dissemos, você deve investir sempre no aprimoramento de seus conhecimentos, ter um plano B e já ficar preparado para qualquer mudança. Afinal, o momento certo para realizar a transição de carreira pode chegar antes mesmo do que você imagina.

Se você tem tempo para definir tudo antes de colocar seu plano em prática, a primeira dica é: estude o mercado da profissão pretendida. Assim, é possível identificar se a carreira é promissora, se as vagas são muito concorridas e se a área não está sendo afetada por alguma crise, por exemplo.

E é claro: se for mudar, que seja para melhor. Então, caso você sinta que precisa aguardar o momento certo para chegar onde deseja ou que prefere juntar um dinheiro para se sentir mais seguro financeiramente, faça isso. Esteja bem certo de todas as razões que levam você a optar pela transição de carreira e evite realizá-la às pressas.

Depois de refletir bem, analisar suas condições e estabelecer seus próprios prazos, pode ser bastante produtivo procurar alguém que já trabalhe na área em que você quer entrar. Além de trocar ideias, tirar suas dúvidas e entender o que essa pessoa acha da profissão, veja também se é possível acompanhar um dia do seu trabalho ou se voluntariar para alguma atividade, para entender como é na prática. Afinal, isso seria uma experiência e tanto, não é mesmo?

Nesse contexto, pode-se dizer que não há um tempo certo para mudar de carreira, pois ele varia de acordo com as expectativas e as possibilidades de cada um. Por isso, fique atento aos sinais de insatisfação e planeje-se para se dedicar à nova fase. Caso a sua preocupação seja continuar cobrindo as despesas e garantir a sua capacitação, tente um trabalho freelancer ou desperte o empreendedor que existe em você — faça doces ou artesanatos para vender, por exemplo, colocando toda a sua criatividade em prática.

Mitos sobre a transição de carreira

Quando uma pessoa fala em transição de carreira, pode ser que muitos dos amigos ou familiares digam que isso é uma perda de tempo. A partir daí, são feitos alguns comentários comuns, que nada mais são do que os mitos que rondam esse processo de mudança. Confira alguns deles a seguir!

"É um desperdício de experiências"

A ideia de que você desperdiçará suas experiências é a primeira que pode surgir na cabeça de muitos. Mas não acredite nesse mito e siga em frente com seus sonhos. Primeiramente, porque você precisa estar satisfeito e feliz durante as horas que passa dedicando-se à sua profissão.

Por fim, tenha em mente que os conhecimentos adquiridos não foram em vão — principalmente se você pretende mudar para uma área relacionada à sua. Quem é formado em Ciências Contábeis, por exemplo, precisa entender bem da parte jurídica e, nesse caso, a formação em Direito pode ser um complemento e tanto.

"A satisfação nem é importante"

Outro mito que pode chegar aos seus ouvidos é: o dinheiro importa mais que a satisfação pessoal. Essa é uma questão que pode se tornar, inclusive, bem grave. Isso porque desempenhar continuamente atividades que você considera desagradáveis pode prejudicar a sua saúde e provocar queda no rendimento, o que não é nada proveitoso, concorda?

"Isso é só para quem tem dinheiro"

A mais equivocada informação a respeito da transição de carreira é a seguinte: essa é uma ideia apenas para quem tem dinheiro. Como dissemos, com um planejamento financeiro e uma boa distribuição do seu tempo, você consegue ter uma reserva para investir em capacitação e cumprir com suas obrigações.  

Como fazer uma transição de carreira bem-sucedida

A trajetória para realizar uma transição de carreira bem-sucedida deve incluir dedicação e autoconhecimento. Por isso, veja só essas e outras dicas que preparamos para você arrasar nesse processo!

Mapeamento de carreira

Se você está perdido em meio a tantas possibilidades, um primeiro passo muito útil para organizar seus objetivos é o mapeamento de carreira. Esse é o momento de colocar tudo no papel para:

  • definir seus objetivos a curto, médio e longo prazo;
  • analisar suas competências e ver se elas são compatíveis com a profissão pretendida;
  • identificar suas limitações e saber quais barreiras você está disposto a quebrar para obter o sucesso;
  • avaliar o que deve ser priorizado em sua vida.

Teste vocacional e orientação profissional

Teste vocacional e orientação profissional são ferramentas que auxiliam no autoconhecimento — tópico que abordaremos melhor a seguir. Porém, apesar de ambos ajudarem você a encontrar o caminho rumo à carreira dos sonhos, há muitas diferenças entre eles.

Teste vocacional

É uma espécie de prova, comumente encontrada em formato de quiz na Internet e propõe perguntas baseadas em suas preferências e hábitos, por exemplo. Depois de respondê-las, você recebe os resultados com indicações de profissões compatíveis com o seu perfil.

Mas é importante lembrar que isso não precisa ser seguido à risca e que é interessante levar o teste feito para um profissional habilitado analisar — que, normalmente, é um psicólogo.

Orientação profissional

Guiado por um profissional especializado, esse acompanhamento permite que você tenha um norte, ou seja, entenda qual é a profissão ideal e saiba como ter sucesso nela. Isso tudo é analisado por meio de testes psicológicos, que vão a fundo para encontrar seus pontos fortes e fracos, além de identificar onde você precisa melhorar para atingir seus objetivos.

Autoconhecimento

Além de todos esses auxílios, é recomendado que você busque se conhecer. Pense a respeito das suas características mais marcantes, dos seus pontos fortes e fracos, do que você gosta e daquilo com que você não deseja lidar. Uma boa dica é tirar um tempo para você, umas férias ou folga, e refletir sobre todos os aspectos da sua vida.

Segunda graduação

A segunda graduação é uma decisão estratégica para quem deseja investir na transição de carreira. Isso porque além de ser a melhor e mais completa forma de adquirir conhecimento a respeito da nova área que você tem em mente, a faculdade ainda abre a sua mente para um mundo de possibilidades.

Ao começar uma outra carreira, você precisará se inserir novamente no mercado, e os cursos de extensão universitária são um ótimo ponto de partida. Por meio deles, você passa a ter contato maior com as atividades práticas da profissão desejada e consegue melhorar seu desempenho em pontos específicos, por exemplo. 

Após participar das atividades acadêmicas, você se sentirá mais confiante e poderá investir em um estágio ou emprego. Essas duas opções podem proporcionar bastante aprendizado, mas saiba identificar o que está mais em jogo para você: fazer o curso tranquilamente, com uma vivência prática, ou ter mais benefícios e menos tempo para se dedicar aos estudos?

Networking

Em um ambiente universitário de qualidade, você conhecerá professores de renome e estará em contato com outros colegas de profissão. Dessa forma, é possível estabelecer uma boa rede de contatos, contar com futuras indicações e trocar dicas valiosas. Vantajoso, não é mesmo? 

Erros ao fazer a transição de carreira

Ao buscar uma transição de carreira, muitas pessoas acabam cometendo alguns erros e criando expectativas que podem levar à desilusão. Para que isso não aconteça com você, conheça a seguir alguns desses equívocos.

Esperar um retorno financeiro imediato

Ao mudar de área, você deve saber que percorrerá todo um caminho rumo ao sucesso novamente. Por isso, pode ser que você precise passar pela fase de estagiário, para depois aumentar gradativamente seus conhecimentos e ganhar experiência. E como se sabe, os salários de estágio são mais baixos, certo?

Então, pense que para se recolocar no mercado, você deverá ter paciência, resiliência e não desistir do seu sonho. Afinal, na medida em que for ganhando autoridade na carreira, você conquista seu público e aumenta cartela de clientes — com isso, o retorno financeiro também chega. Nesse sentido, esforce-se ao máximo para ter um bom desempenho e se destacar nas suas funções.

Não realizar um planejamento pessoal

Se você não sabe quais são suas pretensões a curto, médio e longo prazo, isso pode dificultar o seu investimento na mudança de carreira. Afinal, caso seu objetivo seja comprar um carro em breve, por exemplo, talvez seja mais interessante aguardar um pouco mais antes de fazer as transformações na sua vida profissional. 

Assim, é possível reservar o dinheiro para o automóvel e, em seguida, ajustar suas finanças para apostar em capacitações. Mas para que isso aconteça de forma adequada, é fundamental elencar suas prioridades, seus propósitos e analisar as questões das quais você terá que abrir mão, se optar por realizar a transição. Para isso, repense todas as suas condições, questionando-se.

  • Como e onde você se vê daqui há 5 anos?
  • Quais são seus projetos para o presente? E para o futuro?
  • Quais são suas necessidades neste momento?
  • Suas finanças já estão comprometidas com algum outro projeto? 

Misturar insatisfação com a carreira de insatisfação com o emprego

Às vezes, o seu emprego atual não está valorizando habilidades, seu salário não está condizente com o mercado e, como dissemos lá no início deste post, a cultura da empresa não tem nada a ver com o seu perfil. Mas isso não necessariamente está relacionado com a sua profissão. 

Por isso, é importante analisar bem os fatores que estão provocando a sua insatisfação. Se você gosta das atividades que desempenha, mas está se sentindo sobrecarregado e desvalorizado, por exemplo, pode ser que encontrar um local de trabalho condizente com as suas expectativas e valores resolva o problema.

Porém, caso veja que o que tem desapontado você são as suas funções, atribuições e todo o contexto de mercado que envolve a carreira que segue atualmente, o ideal é realmente seguir os passos para fazer a transição. 

Nesse sentido, uma dica é: anote em um papel todos os pontos que merecem atenção e separe-os em dois grupos: em um, questões que podem ser melhoradas na profissão e, em outro, no emprego. Depois de fazer essa atividade, você terá uma visão mais certa de qual atitude tomar.

Principais barreiras encontradas ao mudar de carreira

Ao cogitar a mudança de carreira, podem surgir algumas barreiras. Sejam elas impostas por você ou por fatores externos, é preciso vencê-las e continuar na busca pela sua felicidade profissional. Confira quais são esses principais impedimentos para a sua caminhada!

Medo do novo

O medo de apostar no novo e depois se arrepender faz parte da vida de todas as pessoas. Porém, quando estamos certos daquilo que desejamos e temos tudo planejado, é mais fácil ignorar esse sentimento e seguir em frente com as decisões.

Quando o apego à sua atual situação se transforma em comodismo, a sensação de perda da estabilidade pode falar mais alto. Não deixe que isso aconteça! Coloque na balança os pontos positivos e negativos (que toda escolha tem), e veja qual deles pesa mais. A partir do resultado, você saberá definir o que trará maiores benefícios para sua vida.

Necessidade de arcar com as despesas

Você quer fazer uma transição de carreira, mas tem medo de não conseguir arcar com as despesas da casa? Isso é o que faz com que muitas pessoas acabem ficando em situações desagradáveis e insistindo em profissões desgastantes por acreditar que, se saírem, não terão como se sustentar. 

Essa é uma barreira real, mas que pode claramente ser revertida. Investindo em um planejamento financeiro e se programando para guardar uma quantia a cada mês, você terá uma reserva emergencial para arcar com gastos médicos, por exemplo. 

E, como dissemos, uma ótima forma de se manter durante esse processo de mudança é realizando trabalho freelancer. Assim, você organiza melhor o seu tempo, consegue dar atenção aos estudos e continua pagando suas despesas.

Despreparo para a profissão pretendida

Se você vai migrar de uma profissão que não usa o Excel, por exemplo, para uma que requer o conhecimento dessa ferramenta, sabendo que não é muito bom nisso, é possível enxergar aí uma barreira. Mas não se desespere.

Com o dinheiro que guardou para investir nos estudos, você pode apostar em um curso, aprimorando suas habilidades ou aprendendo coisas novas. Assim, ao fazer uma pesquisa e verificar o que a nova carreira requer, é possível se preparar para qualquer novidade. 

Profissões que podem deixar de existir 

Com a automatização de processos, o surgimento de alternativas virtuais para certas profissões, além das mudanças dos hábitos de consumo, é normal que algumas delas desapareçam com o passar do tempo. 

Por isso, na hora de escolher, você deve ficar atento às tendências, para que não aposte em algo que está prestes a deixar de existir ou em que a presença humana já não é mais necessária. Confira algumas das funções que podem se tornar ultrapassadas daqui até os próximos anos:

  • bibliotecário;
  • agente de viagens;
  • carteiro;
  • analista de caixa;
  • comissário de bordo;
  • recrutadores;
  • agricultor;
  • coletor de impostos;
  • corretor de seguros;
  • atendente de banco;
  • telemarketing.

Como alcançar o sucesso

Depois de todas as dicas sobre transição de carreira que demos, você deve estar curioso para entender, de fato, quais passos seguir para alcançar o sucesso, certo? Então, vamos lá!

Coloque o plano em ação 

Definidas as suas prioridades e planejada a sua reserva financeira, é hora de colocar o plano em ação. Para isso, elimine todas as barreiras e livre-se dos mitos que rondam o processo de mudança. Tenha bastante persistência e repita a si mesmo todos aqueles resultados positivos que você listou e deseja vivenciar futuramente.

Dê os primeiros passos ingressando em uma segunda graduação e buscando cursos complementares que possam oferecer toda a base necessária. Faça cursos extracurriculares, aprenda novos idiomas, realize trabalhos voluntários, ou seja, tudo aquilo que pode ajudá-lo a ingressar no mercado de trabalho com um pé na frente dos seus concorrentes.

Encontre o trabalho certo para você

Após passar pela fase de estudos e experiências, você estará pronto para procurar a vaga ideal e encarar os próximos desafios. Como foi dito, talvez seja interessante fazer um estágio, para aprender na prática e ter contato com profissionais da área, a fim de estabelecer um networking.

Mas caso já se sinta preparado, vá em busca do emprego desejado. Fique de olho nos sites de vagas e nas redes sociais, principalmente aquelas que são voltadas para o meio profissional, como o LinkedIn.

Lembre-se de que o sucesso vem com o tempo

Não se esqueça de que o sucesso vem com o passar do tempo e à medida que você se aperfeiçoa. Por isso, não abra mão das suas conquistas e dê sempre o melhor de si em todas as atividades exercidas. Assim, você será recompensado e os seus esforços serão reconhecidos por quem acompanhar a sua caminhada.

Como você pôde ver, a transição de carreira é um processo que exige muito esforço e preparo. Mas quando você está certo do que quer e se compromete com seus objetivos, ela pode trazer aquela satisfação e realização profissional que você tanto busca. Para isso, não se esqueça de iniciar um bom planejamento financeiro, estabelecer suas metas e, acima de tudo, não deixe que as barreiras o façam desistir.

Está pensando em mudar de profissão e quer conversar sobre o assunto? Deixe aqui o seu comentário!

COMPARTILHE:
POSTS RELACIONADOS
    Inscrições Vestibular UniCesumar
    Inscrições Vestibular Medicina UniCesumar

    Teste de Orientação Profissional - Foca na Carreira

    Guia-do-profissional-de-agronomia

    [E-BOOK] Como escolher uma profissão? DOWNLOAD GRÁTIS

    Nova call to action